Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Médicos podem paralisar atendimento a partir de sexta-feira (30) no Hospital Dr. Paulo Fortes

Fonte/Foto: Portal Cultura Sul FM

Em reunião, realizada na noite desta terça-feira (27/06), ficou nítida a dificuldade de se evitar a parada geral do atendimento médico na próxima sexta-feira (30/06). De um lado da mesa de negociações os médicos reivindicando o pagamento e de outro a diretoria do Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes de São Mateus do Sul afirmando que não há verba.

Para piorar o cenário, a administração pública reclama de que a situação está difícil para ampliar a ajuda financeira. Participaram da reunião, os médicos que trabalham no hospital, juntamente com a diretoria: presidência, tesouraria e secretários de saúde, de São Mateus do Sul e Antonio Olinto, e o prefeito de Antonio Olinto, Fábio Machiavelli. O prefeito de São Mateus do Sul, Luiz Adyr Gonçalves Pereira justificou sua ausência por conta de compromissos em Curitiba.

A negociação é bem clara: os médicos estão reivindicando os salários que foram reduzidos e a diretoria entende que, de imediato, o município precisa aumentar o aporte de valores repassados mensalmente ao hospital, para permitir essa concessão.

Atualmente são repassados mensalmente, R$ 200 mil da Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul e R$ 50,9 mil da Prefeitura Municipal de Antonio Olinto. A planilha contábil aponta necessidade imediata de ampliar em, pelo menos. R$ 50 mil esses aportes municipais. O fato curioso, apontado, é de que há alguns anos a entidade recebia valores na casa de R$ 300 mil todo mês.

De imediato, a decisão tomada durante a reunião é de que o corpo clínico estabeleça um prazo. A direção do Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes tem até a próxima sexta-feira (30/06) para que seja solucionado a questão. Do contrário, os médicos suspendem os trabalhos realizados no hospital.

O secretário de saúde de São Mateus do Sul, Marcos Diedrichs, demonstrando tristeza frente ao imbróglio, pediu o relatório de valores para estudar uma alternativa em relação aos repasses feitos pelo município.

Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: