(Imagem Ilustrativa)

Um antigo bispo de Florianópolis, disse certa vez ao Papa João Paulo II “Eu estou indo a Medjugorje pela quarta vez”. O Papa concentrou-se em seus pensamentos e disse “Medjugorje! Medjugorje é o coração espiritual do mundo!”. Essa pequena aldeia é situada ao sul da Bósnia e Herzegovina, pertencente à antiga Iugoslávia. Marcada por sofrimentos impostos pelo regime comunista, conflitos sociais e guerras, os moradores de Medjugorje viram as suas vidas serem tocadas por um acontecimento extraordinário em meados de 1981, e que se repetiria até os dias de hoje.

O dia era 24 de junho de 1981. Seis jovens vêem sobre uma colina, uma mulher muito bela, com uma criança nos braços e que lhes fazia sinal para se aproximarem dela. Assustados, decidiram não ir ao seu encontro. No entanto, quatro daqueles jovens não conseguiam esquecer o ocorrido e se sentiam atraídos para voltar àquele lugar. Reconhecendo que aquela que tinham visto era a Mãe de Jesus, os jovens, Ivanka, Mirjana, Vicka e Ivan voltaram para lá no dia seguinte, dia 25, acompanhados de mais outros dois amigos, Marija e Jakov. Formou-se, ali, o grupo de videntes de Medjugorje que testemunharia ao mundo as aparições diárias da Mãe de Deus.

No terceiro dia das aparições, dia 26, Nossa Senhora disse a vidente Marija “Paz, paz, paz e somente a paz! A paz deve reinar entre Deus e o homem e entre os homens!”. Ao fundo, enquanto Nossa Senhora falava, a jovem via uma cruz. Ou seja, essa paz só pode vir de Cristo, pois, o mundo, afastado de Deus, já provou ser incapaz de promovê-la. É por esse motivo que a Gospa, Senhora em croata, se referiu a si mesma em Medjugorje como a Rainha da Paz.

No quarto e quinto dia, a sua aparição já reunia 15 mil pessoas. Falou aos videntes sobre a necessidade de termos uma fé firme, pois sem ela não chegaremos à paz. Apresentou a fé como uma resposta para tudo, como um pré-requisito para toda oração e necessidade humana, inclusive relacionando-a com a integridade e com a saúde. Pediu-nos também a verdadeira conversão que significa a limpeza do coração, pois, um coração deteriorado é promotor de tudo o que é contrário à paz. Seguido da fé e da conversão, a Rainha da Paz pede a nossa oração. “Orar sem cessar”, ela diz, porque a oração fortalece a nossa fé e ordena a nossa relação com Deus e com os outros, sem o que é impossível encontrar a paz. Outro conselho é o jejum que auxilia a nossa fé. Essa prática nos ajuda no controle de nós mesmos, nos tornando livres de vícios e paixões, ou seja, livres do pecado. Afinal, quem não está no comando de si mesmo, está escravizado, e portanto, não possui a paz.

Como vimos, Medjugorje é um roteiro para a paz. Existe também, um outro aspecto dessas aparições marianas: são os 10 Segredos revelados aos videntes, profecias de acontecimentos para a Igreja e para a humanidade. Mas, faltam linhas para toda a abrangência de Medjugorje, lembrando que ali, a Mãe de Deus nos alertou que veio cumprir aquilo que iniciou em Fátima, em 1917.

Termino essa bela efeméride com a mensagem de Nossa Gospa, de 25 de maio de 2021: “Queridos filhos, olho para vocês e os convido: retornem a Deus, porque Ele é amor e, por amor, enviou-me, para conduzi-los no caminho da conversão. Abandonem o pecado e o mal. Decidam-se pela santidade, e a alegria reinará, e vocês serão as minhas mãos estendidas neste mundo perdido. Desejo que sejam oração e esperança para aqueles que não conheceram o Deus do Amor. Obrigada por terem atendido ao meu chamado”.

Que as efemérides da vida nos ajudem a construir dias sempre melhores!

Ingrid Ulbrich
Últimos posts por Ingrid Ulbrich (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A Dama de Ferro no País das Princesas
O Direito ao Trabalho
Covid-19: lições entre o aperto de mãos e a CPI