(Imagem Ilustrativa)

Numa conversa com alguns amigos, eles comentavam que liam essa esta coluna, o que me deixava orgulhoso por um lado e aliviado por outro, e pelo mesmo motivo, por saber que liam a coluna. Nessa oportunidade me desafiaram a fazer comentários sobre aquelas pessoas que se desfazem dos outros, como aconteceu com um deles.

Falando nisso, me lembrei de um pequeno texto que fala bem sobre essa situação. Fala mais ou menos assim:

Um cara tecendo o comentário da situação. “Em uma ocasião, uma pessoa me viu vestindo uma camisa de uma corrida e me perguntou em tom de zombaria …
-Você corre?
Eu disse a ele que sim
-E você é um dos bons ou dos ruins?
Eu sou um dos bons, eu disse a ele.
-Ah sim? E aonde você chega?
Já terminei em terceiro, sexto, 30, 140, 640, 7.200 … depende do número de pessoas presentes na corrida.
– Ufff … então onde os ruins chegam?
– Os ruins nem se inscrevem meu amigo…”


É clássica a frase que diz que cada um sabe bem o peso do que carrega nas costas. Que cada um sabe onde aperta o seu sapato ou ainda, que cada um sabe o caminho que percorreu… Sempre haverá pessoas que criticam sua vida, seu trabalho, o que você faz, como você faz, mas o pior disso tudo é que essas pessoas nem se atrevem a fazer nem a metade do que você faz. Nunca deixe que os pensamentos negativos dos outros tirem o valor de o que você faz e muito menos permita que eles enfraqueçam seu brilho.

Infelizmente no mundo existem muitas pessoas que com o tempo vão se especializando nessa tarefa, a de diminuir você. A de querer que você seja sempre menos do que realmente é, e ao invés de te incentivar para que melhore, que conquiste algo a mais, ela fica fazendo de tudo para que os outros sejam sempre menos, sejam rebaixados. E não é nem aquela situação dela querer ser melhor do que você, é pelo simples e puro prazer de poder tentar ou mesmo conseguir diminuir alguém. São pessoas medíocres que parecem ter essa função na vida, não a de produzir, mas a de reduzir as pessoas.

Sei que não é fácil essas ocasiões, mas é fato que temos que tentar esquecer e nos afastarmos desse tipo de pessoa, lembrando da historinha que falava de uma corrida que acontecia todo ano, para subir uma ladeira muito íngreme, e ninguém conseguia chegar ao topo. Certa ocasião com diversos competidores foi dada a largada e a medida que a ladeira ficava pior, os competidores iam desistindo e muita gente ao lado gritando, você não vai conseguir, desista, e assim aos poucos iam todos ficando pelo caminho, atletas fortes e preparados, campeões de outras competições, todos ficando pelo caminho, mas um pequenos rapaz que ninguém conhecia por ali, estava continuando e indo aos poucos em frente vencendo a ladeira, e a população gritando, desista, não se machuque a toa, ninguém consegue, desista… e assim foi, mas ele continuava subindo até que chegou ao fim e foi o único a conquistar aquela prova. Foi um grande momento de euforia de alguns e chateação de muitos que mesmo gritando contra, o jovem venceu. No momento da premiação descobriram que o jovem era surdo, e não ouvindo os gritos contrários foi até o fim da prova e venceu.

É assim que devemos tentar levar nossa vida, focar naquilo que queremos e acreditamos, deixando pra lá quem torce contra e desconhece o peso da nossa carga, e se necessitarmos conversar sobre esse peso com alguém, escolha quem possa te ajudar a carregá-lo ou fale direto com o Homem Lá de Cima, que sempre está pronto a te ouvir.

Hugo Lopes Júnior
Últimos posts por Hugo Lopes Júnior (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Pequeno gesto de grande valor
A magia de ser o Lobo Bom
O que é luxo?