Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Melhora no desenvolvimento do ensino do campo é destaque na Oficina do Plano Diretor na Água Branca

A melhora na estrutura da Escola Municipal do Campo Castro Alves, da Água Branca foi solicitada pelos moradores. Eles apresentaram a ideia de construção de uma quadra esportiva, de novos banheiros, mesas de refeitório e brinquedos para a educação infantil. (Foto: Acervo Pessoal)

Em mais uma Oficina realizada para o Plano Diretor de São Mateus do Sul, destinada para as comunidades de Água Branca, Espigãozinho, Dois Irmãos, Estiva, Caitá, Monjolos, Papuã, Faxinal dos Ilhéus e Tijuco Preto, contou com a presença de apenas um representante do Espigãozinho e os demais membros da comunidade da Água Branca, que apresentaram os pontos elencados como prioridade para a melhora no desenvolvimento do interior do município.

Realizada na terça-feira (4), nas dependências da Escola Municipal do Campo Castro Alves, na Água Branca, as comunidades participantes destacaram pontos relevantes na questão do meio ambiente, infraestrutura e mobilidade.

De acordo com a Arquiteta e Urbanista da Prefeitura Municipal de São Mateus do Sul, Geruza Vieira, os moradores se preocupam com a pulverização que acontece ao lado da escola, trazendo como ponto principal o atendimento a legislação aplicada nessas situações para proteção dos alunos. Há também a atenção para a fiscalização ambiental em relação ao desmatamento da mata de Araucária que acontece nas proximidades do Espigãozinho. Os são-mateuenses também questionaram a passagem do caminhão de coleta seletiva, que acontece de 15 em 15 dias. Eles afirmaram que atualmente há o acúmulo de lixo na escola e no posto de saúde na região da Água Branca.

Ainda enfatizando a estrutura da escola, os moradores questionaram a construção de uma quadra esportiva, favorecendo os alunos e também os moradores da comunidade que poderão utilizar do espaço. Foi elencado também a necessidade de novos banheiros, mesas de refeitório e brinquedos para a educação infantil. Os moradores sugeriram a ampliação da educação fundamental e a vinda de cursos profissionalizantes na região, pois na atualidade os alunos encontram dificuldades de deslocamento até o centro da cidade para o estudo. Esse método também poderá incentivar a permanência da criança no campo.

Na área da saúde, a comunidade destacou a falta de profissionais especializados no atendimento. Hoje a comunidade da Água Branca suporta uma sala odontológica, mas não há dentistas atuando nesse ramo. Apresentaram também a instalação de uma farmácia com os medicamentos necessários para a demanda do local. De grande importância, a questão de abastecimento de água foi levantada, pois ainda existe a falta do recurso para algumas comunidades mais distantes.

Na questão de entretimento, os moradores solicitaram a construção de um parquinho para as crianças e uma praça para a comunidade. Eles sugeriram também uma linha de transporte entre as comunidades para facilitar a locomoção. Na mobilidade, foi apresentada a ideia de investimento do Estado para a construção de acostamento na rodovia para a segurança de pedestres e ciclistas.

A próxima Oficina do Plano Diretor acontecerá na terça-feira (10), às 18h, na Escola de Fluviopolis. As comunidades atendidas serão: Fluviopolis; Potinga; Pontilhão; Emboque; Turvo; Colônia Eufrosina; Faxinal dos Elias; Rosas e Erval.

Cláudia Burdzinski

Cláudia Burdzinski

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br
Cláudia Burdzinski
Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: