O pequeno Augusto Brudnick Gordia de apenas 1 mês e 3 dias foi salvo por uma policial militar após se afogar com leite materno na tarde de sexta-feira (25/10), na localidade de Água Branca em São Mateus do Sul.

Por volta de 13h30, a Polícia Militar foi acionada via 190 pela mãe da criança, a professora do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Mundo Encantando, Andréia Schimpanski Brudnicki, que ligou desesperada pedindo por socorro. A soldado Eliane Kieski Szczerbowski atendeu o telefonema e foi quem deu os primeiros procedimentos à mãe. “Eu atendi o telefone com ela desesperada, já que o filho havia desmaiado após ficar engasgado durante a amamentação. A primeira atitude que tive foi de orientar para os primeiros socorros, e como ela mora na Água Branca, provavelmente não daria tempo da criança chegar com vida. Por telefone fui orientando a mãe e logo após um tio, para que segurasse a criança de bruços, dando cinco tapinhas nas costas do bebê”, explica.

Eliane ainda conta que ao saber que o bebê voltou a respirar, a equipe teve uma sensação de alívio pelo fato de ter contribuído para salvar mais uma vida. “Quando a mãe me disse que a criança estava respirando me tranquilizou na hora já que foi um momento de muito desespero”, diz.

A equipe da Rádio Difusora do Xisto juntamente com a soldado Eliane, estiveram na tarde de sexta-feira (25/10), no Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes, onde aconteceu o encontro entre a mãe, o bebê e a policial militar. Enquanto estava com Augusto no colo, a militar conta a sensação que teve enquanto atendia a ocorrência. “Eu tenho um bebê com pouco mais de um ano, então sei a sensação de desespero dessa mãe. Ver que ele está bem e já está amamentando novamente é uma sensação de alívio e missão cumprida”, conclui.

A mãe do pequeno Augusto conta que estava em casa com sua mãe e com um tio quando estava amamentando e a criança se afogou. “No momento eu não lembrei do telefone dos Bombeiros, aí liguei para a Polícia Militar (PM) que deu os primeiros socorros, e por telefone a PM me orientou para que ele voltasse a respirar. Foi um grande susto para mim quando vi ele naquela situação”.

Andreia lembra que um vizinho, que é proprietário de um bar ao lado da residência, foi quem transportou ela e o bebê até o atendimento médico. “Nosso vizinho Pedro Fuss, do Bar São Pedro foi quem nos trouxe diretamente no consultório do Doutor Paulo que passou a dar auxílio, sendo que depois foi encaminhado ao Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes”, diz.

No momento em que a criança era transportada, a família que estava em uma caminhonete deu de encontro com a viatura na região do Espigãozinho, porém não houve tempo de parar os veículos.

O pai de Augusto, Nelson Gordia, que estava na cidade no momento em que ocorreu o fato, afirmou que chegou a ver a viatura passar, sem imaginar que a ocorrência seria com seu filho. “Quando vi a viatura da PM passar senti um arrepio, parece que estava adivinhando que algo não estava certo. Logo após fui informado de que ele havia se engasgado e vim correndo para socorrê-lo, mas graças a Deus primeiramente, à PM e aos médicos estamos com nosso filho salvo”, agradeceu emocionado.

Veja como foi o atendimento:

A ligação do atendimento do 190 foi gravada. Veja como foi na descrição abaixo.

De um lado da linha, a mãe Andreia Brudnicki, desesperada, com o filho de um mês que havia se engasgado. Do outro lado, a soldado Eliane Kieski, que conseguiu ajudar a mãe com passo a passo do procedimento correto para desafogar o bebê.

Soldado: Polícia Militar, emergência.
Mãe: Pelo amor de Deus, o meu bebê tá afogado. O que eu faço?
Soldado: Não entendi, senhora. Calma!
Mãe: O meu bebê está afogado.
Soldado: Quantos anos ele tem?
Mãe: Eu moro na Água Branca.
Soldado: Calma, senhora. Quanto tempo ele tem?
Mãe: Ele tem um mês.
Soldado: Então, a senhora vai fazer o seguinte. Se acalme e me escute, tá? Pega ele no colo. Calma senhora, fica calma. Calma senhora. Vira ele de bruços no seu colo. Coloca a cabecinha dele na sua mão e empurra o queixinho dele um pouquinho para cima, deixa a cabecinha dele um pouquinho mais para baixo do que o corpo.
Mãe: Ele tá no colo do meu tio.
Soldado: Tá. Dá cinco tapinhas nas costas dele, senhora. Dá cinco tapinhas nas costas dele de leve. Daí empurra para frente.
Mãe: Tão fazendo massagem, mas ele…
Soldado: Não, senhora, faça o que eu estou te falando. Coloca no viva voz a minha ligação.
Mãe: Ah, meu Deus. Nossa Senhora! Pelo amor de Deus!
Soldado: Se acalme! A senhora ficando nervosa não vai ajudar. Coloca o teu filho de bruços no seu braço, senhora. E dá os tapinhas nas costas.
Mãe: Ele tá morto, Deus do céu!
Soldado: Tenta ficar calma, tá?
Mãe: Eu não consigo.
Soldado: Ele tá respirando, senhora?
Mãe: Ele tá respirando fraco.
Soldado: Continua fazendo então, senhora. Vê se ele vai chorar.
Mãe: Eu tô massageando, mas ele não vai voltar desse jeito.
Soldado: Você tem que ter calma para salvar o teu filho, tá? Me fala se ele tá respirando. A senhora está me ouvindo? Alô?

Depois que a ligação caiu, a soldado conseguiu falar com uma vizinha da família, que contou que a mãe e a criança estavam a caminho do hospital.

A policial foi até lá, onde pôde conhecer o bebê. Ele recebeu atendimento médico e ficou sob observação, segundo o hospital.

Menção Honrosa

Depois do susto e da grande repercussão também na mídia estadual, na manhã de quarta-feira (30/10), Eliane, juntamente de seu esposo estiveram no escritório regional do deputado estadual Emerson Bacil para a entrega da Congratulação e Menção Honrosa pela sua atitude de salvamento. “É um orgulho saber que temos profissionais como a Eliane atuando dentro do nosso município. A Menção foi aprovada por todos os deputados na Assembleia Legislativa”, diz Bacil.

Em sua fala, Eliane agradece todo o reconhecimento e carinho recebido nos últimos dias. “Não posso deixar de agradecer à Deus por ter me colocado naquele momento para atender a ligação”.

Fonte: Edinei Cruz/Rádio Difusora do Xisto e Gazeta Informativa

CHARGE

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Voltando para São Mateus do Sul depois de 67 anos
Mascote oficial do Corpo de Bombeiros de São Mateus do Sul ganha nome
Policiais militares são-mateuenses recebem carta de agradecimento de vítima de depressão

Deixe seu comentário

*