Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

Mobilização política e internet

internet-marketing-2

Em artigos anteriores, já comentamos caro leitor (a) da construção da democracia com a participação de várias vozes de nossa sociedade. A construção democrática não se dá por uma ditadura de ideias, ou por um caminho pensado por um único grupo, mas com a participação efetiva de todos os movimentos e organismos sociais.

A democracia se dá pela reflexão conjunta de ideias, buscando um norte comum para a sociedade caminhar.

Até décadas anteriores tínhamos somente os meios de comunicação de massa que forneciam as informações. Hoje, além destes, a internet se tornou um grande campo de possibilidades de mobilização, em formas de se organizar, propagar conteúdo e se articular politicamente. Se os meios de comunicação influenciam significativamente na forma de pensar, os movimentos sociais devem dar grande importância para esta plataforma.

Sendo que o domínio da informação é relevante na sociedade democrática, é preciso que os movimentos sociais e organismos de luta pelo processo democrático busquem saber como usar da internet para se construir o pensamento na sociedade.

Se meios de comunicação de massa como o rádio, a TV, o jornal impresso não favorecem em ajudar a sociedade a revelar os fatos e as ideias da classe menos favorecida, eis a internet como um caminho para que os movimentos sociais possam manifestar suas opiniões e gerar mobilização de debate à nível comunitário, municipal e em escalas maiores.

A própria forma técnica de trabalho e de divulgação de informação dos meios de comunicação de massa não possibilitam uma reflexão em certas situações. Assim, o uso de ferramentas próprias como sites, blogs, redes sociais por parte desses movimentos é a saída para que possam alcançar visibilidade de suas ações na sociedade, bem como dar visibilidade aos fatos não divulgados pelas mídias tradicionais, que se pautam muitas vezes em reproduzir a voz das fontes oficiais.

Contudo, não se pode porém, colocar na internet a solução para a democracia. Nossa país possui ainda uma grande quantidade de analfabetos digitais, bem como a falta de estrutura em algumas regiões e comunidades para se poder ter o acesso à internet. Vivemos ainda o perigo de passar da realidade de desigualdade digital para excluídos digitais.

Dentro porém dos limites que é possível, os Movimentos devem utilizar-se dos meios tradicionais e da internet para assim: comunicar suas ações, informar seus valores, mobilizar e reunir seus militantes. O uso destes recursos é claro, não dispensa a mobilização nas ruas, praças, pelos atos pacíficos de se organizar para fazer política. Lembra-se também que, a internet é também ferramenta excelente para despertar em novos adeptos, militantes, o interesse pelo envolvimento nas ações políticas que possam melhorar a construção democrática. Não esqueçamos que, poder hoje está com quem detém a informação.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Brasileiro contribui no Novo Documento do Papa
Crescer também em consciência
Um Novo Relacionamento