(Imagem Ilustrativa)

Quem não assistiu a um filme onde alguém fica preso em areia movediça. Quanto mais a vítima se debate, mais afunda, até sufocar. Pois bem, é assim que algumas empresas, organizações e pessoas se sentem no mundo atual. Ficam sem chão. Tudo parece desaparecer sob seus pés.

Alguns chamam a atual realidade mundial de Modernidade Líquida, conceito do sociólogo polonês Zygmunt Bauman, onde perdemos o controle e tudo parecer fluir pelas nossas mãos.

Outros chamam de Mundo VUCA, em inglês, VICA em português, que é um acrônimo inicialmente utilizada pelo exército americano desde a década de 1990 em suas análises de risco e planejamento e que agora ganhou o mundo corporativo, mas se aplica a todo tipo de organização e aos indivíduos: Volatility (volatilidade), Uncertainty (incerteza), Complexity (complexidade) e Ambiguity (ambiguidade). Precisamos levar em conta estes fatores para encarar este ambiente extremamente desafiador.

Volatilidade: refere-se à natureza volúvel e dinâmica da mudança, bem como a velocidade das forças inconstantes que a provocam. Estamos em um contexto descontínuo, efêmero, superficial, exponencial, amorfo e inconstante. Ou seja, o desafio é inesperado ou instável e pode mudar muito rapidamente. O mundo se transforma em uma velocidade cada vez maior.

Quem não lembra do slogan de sucesso da Rádio Band News FM que era “Em vinte minutos tudo pode mudar”. Justamente por esta aceleração desenfreada o mudaram para “Em um segundo tudo pode mudar”, retratando melhor a nossa realidade.

Para representar um pouco dessa velocidade nas mudanças vamos resgatar alguns números. A Forbes afirma que o volume de dados criados nos anos de 2014 e 2015 foi maior que toda a quantidade de dados criados em toda a história da humanidade. E isso foi há cinco anos.

Vamos avaliar agora a velocidade de crescimentos de alguns canais de comunicação para atingir o número de cinquenta milhões de usuários: Rádio, 38 anos; TV, 13 anos, Internet, 4 anos; Facebook, 3,5 anos; Twitter, 9 meses; Instagram, 6 meses; Pokemom Go, 22 dias.

Incerteza: Estamos em um contexto imprevisível, inesperado, imponderável, improvável, arriscado e inseguro. Ou seja, é difícil pensar no futuro com base nos acontecimentos passados e também resultados ou escolhas passadas não garantem um futuro de sucesso.

O mundo atual dificulta em muito a vida dos “profetas” e quem consegue, com base em algum cenário, tomar uma decisão, fazer uma previsão, tem grande vantagem competitiva. Complexidade: Vivemos um cenário não linear – estávamos acostumados com a linearidade – hiperconectado, intrincado, confuso, ilógico e fragmentado. Tudo até parece o caos, pois são muitos os componentes interconectados e interdependentes. Assim, a relação de causa e efeito é desconectada e temos dificuldade em avaliar as consequências de nossas decisões e ações.

Ambiguidade: A realidade está turva, nebulosa. Podemos cometer erros de leitura, de interpretação. Os significados estão mesclados e algumas vezes são opostos. Estamos em um cenário controverso, simultâneo, incoerente, relativo, contraditório e subjetivo. São várias as possíveis respostas para um determinado problema. São diversos os pontos de vista coerentes, defensáveis e que coexistem. Tudo depende da lógica, da cultura e dos valores de quem avalia. Os indivíduos têm dificuldade com a própria identidade. Por exemplo, até pouco tempo atrás admitíamos apenas dois gêneros: masculino e feminino, na nossa interpretação da natureza humana. Nos EUA, hoje, o Facebook já permite a escolha entre 56 gêneros diferentes. Como um indivíduo pode se encontrar ou se definir? Mais trabalho para psicólogos e psiquiatras.

Eu arrisco dizer que a nossa realidade, a nossa modernidade mudou de estado físico e, hoje, está mais para Modernidade Gasosa do que Líquida, e neste processo, está em ebulição.

Precisamos nos reinventar, já que, aparentemente não há mais limites e precisamos reorganizar o caos a cada instante, pois a cada milésimo de segundo tudo pode mudar em nossas vidas. Ainda tempos a capacidade de nos reinventar, como temos feito nesta pandemia da Covid-19.

Adnelson Borges de Campos

Adnelson Borges de Campos

Nascido em São Paulo (SP), são-mateuense de coração, casado com Denise, pai de Lucas, Vinícius e Helena. Administrador, especialista em gestão empresarial pela ESAG/UDESC e especialista em Gestão e Auditoria Ambiental pela FUNIBER. Trabalha na Petrobras desde 1986, onde exerceu, desde 1987, funções gerenciais em mais de nove áreas especializadas. Atualmente é gerente de manutenção da Unidade de Industrialização do Xisto em São Mateus do Sul (PR). Contista desde 2012, com diversos textos publicados em meio impresso e digital. Autor de Histórias que as estrelas contam – um pouco de astronomia para adolescentes. www.adnelsoncampos.com.br - adnelsoncampos@gmail.com.
Adnelson Borges de Campos

Últimos posts por Adnelson Borges de Campos (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Saboreando um pedaço de história
Como a leitura pode melhorar o processo cognitivo
Highlander