(Imagem Ilustrativa)

Então começaram as Olimpíadas, mas com algumas dificuldades para acompanhar, primeiro pelo horário e segundo por estar muito frio para acompanhar nesse horário. Assim, me resta acompanhar os resultados nos noticiários e ficar na torcida pelos nossos atletas.

Falando nisso, ouvi um comentário sobre um atleta brasileiro que estava desolado e pedia desculpas por não ter conseguido seguir a diante em busca de uma medalha. Olha, confesso que fiquei realmente emocionado pela tristeza desse nosso conterrâneo, pois hoje até pode não parecer, mas fui atleta e competi em várias coisas no colegial e até arrisquei o futebol (essa é outra história). E é claro que o importante é competir, mas é uma oportunidade única a participação numa Olimpíada. A tristeza já começou pouco antes dos embarques dos brasileiros, quando ouvia que alguns por terem testado positivo para o Covid ficariam sem embarcar. Imagina 4 ou 5 anos treinando e competindo para no derradeiro dia, não poder sequer ir.

Tirando algumas modalidades que eu considero privilegiadas, por terem outra estrutura e ricas federações ou mesmo que remuneram bem seus atletas, como futebol, vôlei, basquete, a grande maioria dos nossos atletas só por terem índices para ir às Olimpíadas eu já considero campeão e mesmo que nem chegue perto de uma medalha. São muitos os esportes onde na maioria das vezes torcemos por abnegados e sonhadores, que mesmo sem estrutura alguma conseguem resultados maravilhosos. São aqueles atletas que mesmo ganhando uma medalha não conseguem se manter no esporte, por não terem patrocínio, incentivos, como se manter treinando, comprando materiais esportivos, muitas vezes caros, se sustentando e ainda obtendo resultados maravilhosos.

O esporte serve muito bem na boca de políticos, na hora de campanhas, dizendo que é preciso incentivar o esporte, mas pegar os quase R$ 6 bilhões do fundão eleitoral e aplicar na educação ou nos esportes, nunca acontecerá. Quem sabe copiarmos a estrutura dos colégios e universidades norte-americanas que despejam atletas e colecionam medalhas aos montes nas competições, e quando algum atleta dessas potências são derrotados, não se tem a dimensão do valor que essas vitórias têm. O Brasil é um celeiro de atletas, dizem os políticos, mas nada ou quase nada fazem para aflorar esse potencial existente, é fruto do virtuosismo de cada um, quem sabe deveria ser dito, da teimosia de cada um que de tempos em tempos aparecem para nos dar alegrias, ou aquele sentimento de que é possível.

Quem não acordou dia desses e de repente descobriu que uma garotinha de 13 anos tinha, na nossa madrugada, conquistado uma medalha olímpica, acordamos com a nossa Fadinha do Skate ostentando uma belíssima medalha de prata na barriga, pois a fita é para adultos e ela só tem 13 aninhos. Ela estava super feliz, mas nem imagina a emoção que temos de vê-la brilhando, conquistando, quebrando barreiras, mas fico imaginando com incentivo quantas e quantos poderiam estar em condições de competir, mas sempre acaba sendo um esforço sobre humano para se estar em condições de participar e de vencer então, nem se fala.

Na verdade eu gostaria de dizer para aquele atleta que chorou e pediu desculpas por não ter conseguido seguir na competição, que na verdade o Brasil é que deve desculpas a você por não dar aos seus atletas as devidas condições de competirem de igual para igual com outros atletas que nem imaginam pelo que vocês passam para chegar num competição. Sei que não é só no Brasil que é assim, mas nós temos condições, enquanto em outros países não. Recordo-me de uma competição de natação, onde um atleta se não me engano do Haiti ou Trinidad e Tobago, teve que nadar sozinho numa espécie de repescagem, pois a competição possibilitava e como tinha poucos competidores e ele, mesmo sendo inferior aos outros, acabou competindo sozinho com incentivo e torcida dos outros para que alcançasse o índice, mas infelizmente não deu. Ao invés de ser uma vergonha, ele foi motivo de orgulho por não desistir.

E a todos os nossos atletas que já derramaram litros de suor, qualquer colocação que venham a ter, para eu é um motivo de orgulho, todo o treinamento e privações pelas quais passou para conquista do índice necessário e para ostentar um crachá de atleta olímpico, e representar essa grande nação que na maioria das vezes se torna pequena, sem te dar o devido apoio.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
18 de Maio é todo dia
Impera a saudade e não a dor
Cuidados com as bolinhas