As unidades recebem correspondências duas vezes por semana e a entrega ocorre conforme o prazo determinado pelo tipo de serviço contratado pelo remetente. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Anualmente, nos primeiros meses do ano, chegam até as casas dos moradores correspondências referentes aos impostos, como o Imposto sobre a propriedade de veículos automotores (IPVA). Apesar do nome do imposto, ele incide apenas sobre veículos que transitam por meio terrestre. Ou seja, carro, moto, caminhão, ônibus, micro-ônibus, máquina agrícola, ciclomotor e afins. Ele não é válido para veículos do meio aquático e aéreo.

O imposto é de responsabilidade dos estados e do Distrito Federal, sendo que estes entes federativos ficam com 50% dos valores arrecadados. Os outros 50% são destinados aos municípios onde os veículos são registrados, conforme previsão existente na Constituição Federal.

Artur Roscoche é proprietário de uma autoescola em São Mateus do Sul e também trabalha com defesa de multas. Ele comenta que uma das principais dificuldades que vêm sentindo nesse começo de ano é o aumento de relatos de moradores do interior que dizem não ter recebido a correspondência de multas. “Quando eles vão pagar o IPVA percebem que estão com a carteira suspensa”, relata.

Em seu escritório, diariamente Artur presencia situações como essa. Ele também recebe moradores questionando os motivos da rapidez na devolução da correspondência para o remetente. “Anteriormente as localidades do interior possuíam mais pontos de entrega de correspondência, que de certo modo facilitava na entrega de mais comunidades”, aponta.

Entramos em contato com a equipe dos Correios, que em nota comunicou que o município atualmente apresenta três agências comunitárias em São Mateus do Sul, situadas nas localidades de Caitá, Fluviópolis e Lajeado. “As unidades recebem correspondências duas vezes por semana e a entrega ocorre conforme o prazo determinado pelo tipo de serviço contratado pelo remetente”, informam.

Nossa equipe questionou os Correios dos motivos que levaram a diminuição das agências comunitárias e se há previsão de aumento do atendimento no interior, porém não obtivemos retorno. Caso algum morador deseja entrar em contato diretamente com os Correios para tratar do assunto, o telefone para contato é (42) 3532-2576.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Protesto dos caminhoneiros chega ao 3º dia em São Mateus do Sul e reflexos já aparecem no cotidiano da comunidade
Um protesto silencioso
Lei que dispõe sobre a regularização de obras entra em vigor