Manifestações e pedidos de ajuda estão sendo feitos pelos moradores de comunidades como Arroio da Cruz e Vargem Grande. (Foto: Joyce Sanches)

O município de São Mateus do Sul possui mais de 5 mil quilômetros de estradas em sua área interiorana, e algumas estão sem condições de uso pelos moradores. Na última sessão da Câmara de Vereadores, realizada na segunda-feira (18), moradores da comunidade do Arroio da Cruz manifestaram sua indignação sobre as estradas em péssimas condições da comunidade, reivindicando seus direitos para um trajeto de qualidade.

Joyce Semwik Sanches, moradora da comunidade de Vargem Grande, conta que a rua próxima a sua casa também está intransitável por conta do grande volume de lama nas estradas. “A questão que estamos levantando é que algumas máquinas da Prefeitura Municipal estiveram na comunidade para colocarem pedra, porém, eles pararam o serviço na metade, deixando um importante trecho sem condições de uso”, diz. A jovem informa que haviam pedras suficientes para finalizarem o trecho com a patrola, porém ele foi interrompido sem nenhuma explicação. “A parte que precisamos muito ainda está atolando os carros que passam pelo local”, testemunha.

A jovem, em nome de todos os vizinhos que necessitam do espaço para se locomoverem, pede atenção para quem vive na comunidade. “Entramos em contato com a Prefeitura no final de 2018. Em fevereiro, o fiscal de obras compareceu em nossa casa para mais informações, mas o problema não foi resolvido”, conta. Joyce, que trabalhava na cidade de São Mateus do Sul precisou pedir dispensa do serviço temporário por não conseguir sair de sua residência por conta da estrada. “Passei no vestibular de pedagogia na Universidade Estadual do Paraná (Unespar) em União da Vitória, mas não estou cursando por não conseguir ir até lá. Meu sonho é dar aula e arrumar as disciplinas nas escolas. As pessoas comentavam comigo que eu tinha um dom de ensinar, e pela primeira vez que passo em uma faculdade gratuita, não posso fazer”, expressa.

De acordo com o produtor de soja Gilson Maciel, ele não consegue ter acesso ao seu terreno localizado na Vargem Grande, podendo prejudicar a safra por conta da falta de acompanhamento. “Encalhei o carro chegando até o local, e tive que pedir ajuda para os vizinhos, que me socorreram com o trator”, informa.

A equipe da Gazeta Informativa entrou em contato com a Prefeitura Municipal para esclarecimentos das estradas localizadas nessas comunidades. Porém, por conta da viagem do prefeito até Curitiba, não obtivemos respostas até o fechamento da edição, realizada na quinta-feira (21).

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Inscrições para o concurso da Prefeitura foram suspensas e recomeçam nas próximas semanas
Câmara aprova e prefeito sanciona novo perímetro urbano
Rio Canoas transborda e gera preocupação em moradores

Deixe seu comentário

*