Cidade

Morre Luciano Teodoro Staniszewski, fundador das Lojas Leonardo

“Temos a certeza de que ele está lá de cima muito sereno a nos observar, e com a evidência de que nos preparou para assumir o seu legado que vai além dos bens materiais, pois aprendemos com ele à sermos honestos, comprometidos e fazermos o bem”, diz a família. (Foto: Acervo Pessoal)

Aos 84 anos, Luciano Teodoro Staniszewski, um dos fundadores das Lojas Leonardo, que tem sua matriz em São Mateus do Sul, e as filiais em São João do Triunfo, Três Barras e Canoinhas, deixou seu legado aos filhos e a sociedade são-mateuense, na segunda-feira (27/11). “Ele partiu em paz porque sabia que nós amadurecemos no decorrer dos anos, pois cada um está comprometido com aquilo que foi ensinado, e que lhe cabe dentro de seu legado e dará conta de seu recado. Ele foi uma pessoa muito comprometida, responsável e dono de uma força de vontade sem igual”, destaca a filha Lucimara Staniszewski Hilario.

Luciano Teodoro Staniszewski, nasceu dia 9 de novembro de 1933, em São Mateus do Sul. Filho do comerciante e agricultor, Leonardo Staniszewski e da dona de casa, Josefa Glinski Staniszewski, desde muito pequeno, se destacou entre os demais e fortaleceu, dia após dia, suas raízes em solo são-mateuense. Além de Luciano, o casal teve mais 11 filhos.

Mesmo depois de cumprir com seus deveres militares, onde alcançou a patente de cabo já em 1952, foi convidado a dar continuidade aos préstimos à nação, optou em retornar a Terra do Mate e aqui alavancar-se como cidadão de respeito e anos depois, apaixonar-se pela professora Maria de Lourdes Staniszewski, e como fruto do amor, os cinco filhos, Lucimara, Gilberto, Gerson, Márcio e Leonardo.

Em 1961, juntamente de seu pai Leonardo, e os irmãos Estefano Staniszewski e João Staniszewski, fundou o Armazém Central, que funcionava em uma casa de madeira na Avenida Ozy Mendonça de Lima, 377 (onde atualmente se encontra o Laboratório Avenida).

Além de pai e cidadão exemplar, Luciano entrou na política já em 1968 como vereador, visando o bem comum da comunidade o qual lhe elegeu em dois mandatos, concluindo em 1977 seu legado político e sendo reconhecido como Cidadão Honorário. Em 1979, com a morte do pai, Luciano adquiriu parte da sociedade dos irmãos, conhecida pela comunidade são-mateuense como “Armazém Staniszewski”, e como homenagem ao pai, renomeou para Comércio Leonardo. A partir deste momento, destinou-se seu foco somente em seu empreendimento, onde junto da família ergueu um império com base num legado que passará para seus filhos, “a determinação, o trabalho esforçado e os valores”, enfocam os filhos, emocionados.

Em 1996, Luciano confiou aos filhos a administração da empresa a qual passou a ter novos horizontes, baseados nas premissas da formação cidadã e profissional daqueles que o herdaram. Mas mesmo ausente, sempre presente, supervisionando os filhos, “ele sempre quis mostrar de onde vinham as nossas conquistas, que era do nosso esforço. ‘Vocês têm de dar valor’, ele dizia. Sempre foi um conselheiro para todos evoluírem”, afirmam os filhos que juntos relatam brevemente à equipe da Gazeta Informativa o quão importante o senhor Luciano foi para a família e para a sociedade são-mateuense. “Nosso pai sempre viveu em comunidade, começando pelo seu comércio e suas amizades que ali nasceram. Ele se doava pelas questões do município. Sempre foi útil para todos, realizava o trabalho com responsabilidade, pois fazia com o coração”.

Os filhos salientam, também, que mesmo ausente, num primeiro momento em 1996, onde destacou suas atividades à chácara, o genitor da família Staniszewski sempre esteve presente, “nosso pai ficou ausente devido a doença, mas agora com a sua partida, a ficha da responsabilidade caiu. Chegou a hora de assumirmos de fato o legado deixado por ele, eis a nossa missão a partir de agora”.

“Cada um de nós, irmãos, assumiu uma parte dele, um de seus dons. Ele sempre afirmou que preparou nós cinco para fazermos o que ele sempre fez e ainda mais e melhor. Temos de honrá-lo e com certeza estamos preparados para isso, mas somos eternos aprendizes. Temos certeza que nossa cidade não o perdeu, pois tudo que nosso pai fez por São Mateus do Sul, continuaremos fazendo e agora com ainda mais força, pois ele está nos supervisionando, agora num nível mais elevado, junto do Pai. Essa é uma experiência que ninguém quer passar, é triste, mas é um momento de fortalecimento”, relatam os filhos.

Comemoração das Bodas de Ouro (50 anos de casamento) do casal Luciano Staniszewski e Maria de Lourdes Staniszewski. (Foto: Acervo Pessoal)

Da esquerda para a direita, os filhos de Luciano: Gilberto, Gerson, Lucimara, Márcio e Leonardo. (Foto: Alexandre Müller/Gazeta Informativa)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Jornal Aconteceu paralisa atividades na cidade
Privatização: Petrobras anuncia a venda da SIX
Apenas três das oito câmeras de segurança estão funcionando em São Mateus do Sul