Alunos de todas as turmas esbanjaram criatividade na hora de produzir as apresentações. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

A história egípcia, volta no passado musical, estudo do corpo humano e experiências químicas foram alguns dos temas propostos pelos alunos do Colégio Estadual São Mateus (CESM), que realizaram na quarta-feira (28), a Mostra de Conhecimentos organizada por toda a equipe. As apresentações abertas ao público iniciaram às 9h, com término às 21h, e foram motivo de muitos elogios por quem frequentou o espaço.

Telma Staniszewski, diretora do CESM, ficou encantada com a criatividade de todos os alunos na hora de criar apresentações dinâmicas e que chamassem a atenção do público de diferentes idades. A feira acontece anualmente e sempre traz novidades cada ano que passa. “Vemos a Mostra como uma oportunidade dos alunos mostrarem para toda a comunidade o conhecimento adquirido em sala de aula”, expressa.

Além dos alunos do ensino fundamental e médio, a Mostra de Conhecimento aborda os conteúdos estudados pelos cursos técnicos. Em 2019, a novidade do curso de agronegócio trouxe para dentro da instituição máquinas agrícolas, produção de sementes, estudo da erva-mate e cuidados com pragas. “Queremos que os pais e os futuros alunos conheçam na prática como funciona nosso método de ensino aqui no CESM.”

Os alunos dos três períodos organizaram escalas entre eles para apresentação na Mostra. Cada turma também contou com um professor responsável pela orientação dos temas e montagem dos cenários temáticos.

A sala de terror

Quem entrava na quadra de esportes via que a fila para a sala de jogos estava extensa. Mas qual seria o motivo de tanta euforia? Era a sala de terror organizada pelos alunos do 4ºA do curso de formação de docentes. O objetivo não era deixar as pessoas com traumas, mas sim trabalhar o lado emocional.

A aluna Luana Skiba, que é a representante de turma, conta que a preparação para a sala temática foi uma colaboração da turma. “Inicialmente estávamos em dúvida entre expor materiais e fazer um circuito. Conversa vai, conversa vem, lembramos de anos anteriores, onde uma turma fez uma sala do terror e foi sensacional, então por que não fazer uma segunda edição, não é?”

Luana conta que dentre as disciplinas estudadas em sala de aula, são debatidos temas como medo, insegurança, ansiedade e outros transtornos. “O objetivo da sala do terror foi o saber superar a pressão”, explica. O público entrava vendado em uma sala escura e ao adentrar no corredor, se deparava com os monstros, que gritavam, ameaçavam e uma motosserra estridente passando pelos pés e cabeças, causando o maior pânico. “Com certeza as chances de fenômenos como o maluco da serra elétrica, Samara, demônios e a noiva do CESM aparecerem são mínimas, entretanto, podemos fazer uma analogia com o medo que sentimos dentro da sala, principalmente para os jovens prestes a prestar o vestibular”, explica.

Os monstros representaram a sociedade empurrando o jovem para um futuro. “Quando a pessoa ficava parada ali, com medo não sabia para onde ir nem como reagir, a única coisa que conseguia ver era a luz da saída que são os seus sonhos. Por isso é importante estarmos com nossa saúde emocional em alerta e sempre que nos sentirmos desamparados procurarmos ajuda conversando com amigos e se necessário com um profissional da psicologia.” Os alunos do curso ouviram muitos comentários positivos sobre a apresentação, transformando a produção em um sucesso.

Alunos do 4ºA do curso de formação de docentes apresentaram a sala do terror. (Foto: Acervo Pessoal)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
4ª reportagem da série “O Desabafo do Professor”
Familiares dormem em fila para garantir vaga no Colégio São Mateus
Aulas do curso de técnico de enfermagem iniciam no Colégio São Mateus