(Imagens Ilustrativas)

Uma faceta que poucos que me conhecem sabem que eu sou um grande fã de tirinhas e de histórias em quadrinhos, algumas com mensagens legais e outras com divertimento mesmo, uma distração. Isso vem desde pequeno, além dos livrinhos da escola, sempre fui de ler os “gibis” que meu saudoso pai trazia para eu e meus irmãos.

Falando nisso, recebi uma tirinha do personagem Calvin & Haroldo essa semana e faz parte de uma sequência de tirinhas que conta a história do furto na casa do personagem. Foi muito tocante a preocupação do pequeno Calvin com seu amigo Haroldo. Mas, essa tirinha que recebi especificamente aparece e trata-se de um pequeno diálogo dos pais dele, e que traz muitas reflexões, para quem gosta de pensar um pouco. O pai acordado comentando com a esposa que também não conseguia dormir com o furto que ocorreu quando viajaram. “Engraçado quando eu era criança achava que os adultos nunca se preocupavam com nada. Eu achava que meus pais pudessem resolver qualquer coisa, mas nunca me ocorreu que talvez eles realmente não pudessem. Eu achava que quando a gente crescia, automaticamente saberia o que fazer em qualquer situação. Eu não teria tanta pressa em ficar adulto se soubesse que a coisa toda ia ser feita na base do improviso”.

A gente vai crescendo, ficando adulto, de filho passa a ser pai, e o tempo passando e quase nunca paramos para refletir sobre o que pensávamos sobre o que desejávamos quando criança. O que a gente imaginava da vida adulta, será que passou perto do que se pensava quando criança, depois adolescente? Já parou pra refletir nos caminhos que te trouxeram até onde você se encontra? Ahhh, mas isso já é passado! Sim é importante que pensemos assim, mas é analisando o passado que pensamos ou planejamos o futuro. É aquela velha e verdadeira frase, “Quem não sabe de onde vem, não sabe para onde vai”, por isso é importante analisar o caminho percorrido para poder traçar o caminho a percorrer. Ahhh, mas nada deu certo como eu queria ou previa. É outro motivo para analisar o que fez de errado, as verdades que acreditava e não eram na verdade. É sempre tempo de corrigir o caminho a seguir, mudar as nossas crenças em coisas erradas, nos achismos da vida. Se as coisas não deram muito certas até agora, está na hora de começar a mudar o caminho ou a maneira como está sendo feita. Olhe para trás e dê novo rumo.

Esse comentário que faço é para que a gente desperte, é sempre tempo de recomeçar, de fazer diferente, tomar novos rumos. Isso principalmente para os jovens, para que reflitam onde suas decisões de agora vão levar. Quantas coisas deveria ter feito de maneira diferente e teria evitado muitas coisas. Recordo-me de um aluno que tive há muito tempo, no primeiro ano do segundo grau, que não queria saber de estudar, porque o pai era muito rico e só tinha a quarta série, imagine onde ele com o primeiro grau completo chegaria. Então falei, pra ele imaginar onde chegaria com um curso superior? Numa conversa com o pai dele, trocando algumas ideias, ele chegou a conclusão de dar algumas condições do filho ganhar seu sustento e começar a sua riqueza, e deixou nas mãos dele uma pequena fazenda ou sítio que possuía, com recursos exatos para fazer funcionar. Resultado? O sonho não durou três meses e foram-se os recursos e nada de produzir.

É bom que os jovens entendam, como na tirinha, só o fato de ser adulto não resolve tudo, pelo contrário, na maioria das vezes complica mais e mais. Usando uma analogia mais próxima do que muitos jovens entendem, a vida na grande maioria das vezes vai ficando mais difícil a cada fase que vamos passando, quando passamos de fase, pois muitos permanecem na mesma fase e cometendo os mesmos erros. Passa de fase quem comete o menor número de erros nos jogos, na vida nem sempre é assim, quando não passamos de fase, a mesma fase fica ainda mais difícil. É claro que isso não é justo, por isso se chama Vida.

Hugo Lopes Júnior
Últimos posts por Hugo Lopes Júnior (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Novembro Azul ou O Milagre
18 de Maio é todo dia
Desperdiçar o tempo