Nem tão simples assim...

Não seja uma tia chata

Imagem Ilustrativa

Quem nunca ouviu ou mesmo disse que nós adolescentes temos fama de quem odeia viagens? Quase ninguém, né? Mas sabe porque temos uma reação tão desanimada quando nossos pais dizem que vamos fazer uma viagem em família? Porque a maioria delas são chatas mesmo. Por outro lado, uma viagem legal não brota do nada.

Embora meus amigos sempre digam que eu pareço uma tia por causa das coisas que eu gosto de fazer, e eles até podem ter um pinguinho de razão, mas não muita (se quiser, confira ao final da coluna meus principais hobbies), nem sempre o que vemos em filmes de Estados Unidos são realistas, até porque é um filme, se nós quiséssemos ver a realidade sentaríamos na esquina e assistiríamos nossos vizinhos passeando com o cachorro.

Eu digo isso porque é quase impossível você nunca ter visto um daqueles filmes em que um pai e uma mãe, com aqueles trinta filhos que levam cachorro, gato, passarinho, tarântula, acham um tatu no meio da rua e levam também, dizem “Nós vamos passar o verão acampando ao lado do Lago Não Sei das Quantas para nos unir e fortalecer nossos laços, blá blá blá”. Dá para ser mais normal que isso, óbvio.

Por que eu toquei no assunto de que eu pareço uma tia? Não sei, achei relevante comentar isso, porque até mesmo quem tem personalidade de uma mulher de 100 anos pode planejar uma coisa legal. Por exemplo, em 2016 eu e minha família fizemos uma viagem, e eu e minha irmã ficamos responsáveis por uma parte do planejamento. Claro que nós fomos deixando cada vez mais para frente e acabou que eu fiz tudo (nem sei como, para falar a verdade). Apesar disso, tudo saiu mil vezes melhor que o esperado, porque você sempre tem que planejar tudo com a possibilidade de dar errado, para sempre se surpreender ao invés de se decepcionar, e no fim foi a melhor viagem que eu já fiz.

Enfim, por experiência própria, recomendo aos papais e mamães, que se quiserem que seus filhos realmente aproveitem uma viagem, deixem eles fazerem uma parte da programação. Não é difícil, nós temos a maravilhosa dádiva divina chamada internet, que já virou quase um gás oxigênio.
Ps.: meus principais hobbies são ler, costurar, pintar tudo que eu encontrar pela frente, ir em museus, fazer coisas de unicórnios e arco-íris*, encapar as coisas com plástico adesivo e tema de jornal (tipo coisa antiga, Anna adora), limpar teclado de computadores e notebooks, montar quebra-cabeças com tema de colcha de retalhos e escrever. Viram? Nada de tia velha meus estimados amigos.

*Arco-íris: não se preocupe, eu imagino que você saiba o que é um arco-íris. Em todo caso, vamos estabelecer uma coisa que eu já estou cansada de tentar explicar: o arco-íris tem 7 (sete. SETE) cores, que são vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta; já a bandeira LGBT tem 6 (seis. Six. SEEEIS), não tendo um dos dois tons de azul. Simples. Então quando vocês me virem vestindo meu moletom de unicórnio fofinho que tem cabelo arco-íris que eu mesma fiz, se você perguntar por que o cabelo dele é igual a bandeira gay, prepare-se para uma tretinha. Aliás, tretas também são um hobbie meu, se não estou envolvida, eu sou a primeira a falar “Noooossaaa, eu não deixavaaa”. Hehehe, é feio, eu sei, mas vou fazer o que? Sempre procuro uma oportunidade de ouvir novos argumentos.

Beijos, Anna.
annajulia.reginato@yahoo.com.br

Anna Julia Reginato
Últimos posts por Anna Julia Reginato (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
E eu tinha medo de dormir com os pés descobertos…
Verde limão forever and ever
Ficar feliz e pegar gripe, isso é o certo