Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

Nosso Batismo, Nossa Missão

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Amigo (a) leitor (a), a fé que acreditamos, que professamos e vivemos, não deve ser algo abstrato, teórico, mas deve ser revelada, expressada no cotidiano de nossa vida, na nossa vivência mesma.

Nesta semana, à partir do Domingo passado, 10, a liturgia da Igreja Católica entrou em um novo Tempo, o chamado Tempo Comum, que foca o aspecto da Vida Pública de Jesus vivida por ele durante três anos aproximadamente, até sua morte na cruz e sua Ressurreição. Este novo Tempo, se abriu com a festa do Batismo de Jesus, celebrada no domingo. Esta Festa dá encerramento ao Tempo de Natal e abre o Tempo Comum.

É à partir de Seu Batismo, que Jesus inicia a missão de anunciar o Reino de Deus. Sendo batizado por João Batista no rio Jordão, Jesus é declarado às pessoas pelo Pai como sendo o Seu Filho enviado. “Tu és o meu Filho amado, em ti ponho o meu benquerer”.

A vida do cristão deve ser a imagem da vida de Jesus. Apesar das limitações, o cristão deve buscar pela sua vida sempre transmitir as atitudes de Jesus, como São Paulo nos dá o testemunho na Carta aos Gálatas. “Já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”. (Gl, 2,20).

Quando alguém recebe o batismo, por meio de seus pais e padrinhos ele é inserido na vida da Igreja, e é por eles formado em um caminho que o faz ser “outro Cristo” no mundo. Destaca-se três missões que o cristão desenvolverá à partir do seu batismo, sendo assim estas vividas por Jesus.

O Cristão recebe a missão de ser Sacerdote. Participa do Sacerdócio Comum. Com esta missão ele é convocado a sacrificar sua vida pelos outros, pelo próximo, a não viver sua vida pensando apenas em si, mas sim como Jesus, se doar pelas outras pessoas. É convocado, assim como faz um sacerdote a oferecer seus sofrimentos e alegrias a Deus como oferenda. Isto está na prática de nossa vida, não é uma teoria apenas.

A segunda missão que o cristão herda no seu batismo é ser Profeta. O profeta tem a incumbência de anunciar Deus para as pessoas, por palavras e por sua vida bem vivida na fé, no testemunho. O profeta é um arauto da Boa Notícia. Mas também, todo profeta tem o dever de denunciar as injustiças, alertando para futuros problemas que irão afetar a vida das pessoas.

A terceira missão realizada por Cristo e que o cristão deve imitá-lo é ser Rei. Jesus por ser o Filho de Deus, é Rei do Universo, rege, governa o mundo. Por uma participação neste mistério, pelo batismo somos convocados a também governarmos o mundo. O mundo

criado por Deus foi confiado a nós para que zelemos por ele. Não devemos nos aproveitar do mundo, gastar apenas seus recursos, mas cuidar, por que é nossa casa.

O papa Francisco ao tratar a questão ambiental em seu escrito Laudato Si’, nos diz que o mundo é a nossa Casa Comum, expressão do teólogo Leonardo Boff. A questão ambiental é uma de tantas outras preocupações que somos convocados a refletir avaliando nossas atitudes no planeta.

Viu só, a fé está intimamente ligada ao nosso mundo da vida. O Batismo nos convoca para sermos protagonistas de um mundo melhor, tendo como referência as palavras da fé, e acima de tudo a Vida de Jesus.

Pensemos: Como minha vida está sendo útil para um mundo melhor; para que o Reino de Deus aconteça na nossa história? O Batismo vai além de uma celebração ritual, mas é uma missão a ser assumida por amor.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Quaresma: Só para Católicos?
Fé: uma relação de amor
Que diferença fazemos?