(Imagem Ilustrativa)

“O segredo consta de três coisas distintas, duas das quais vou revelar. A primeira foi pois a vista do inferno! Nossa Senhora mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra.(…) Esta vista foi um momento, e graças à nossa boa Mãe do Céu, que antes nos tinha prevenido com a promessa de nos levar para o Céu (na primeira aparição), se assim não fosse, creio que teríamos morrido de susto e pavor. Em seguida, levantamos os olhos para Nossa Senhora que nos disse com bondade e tristeza: Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores“.

Não foi por uma ou duas vezes que me questionei, se seria prudente iniciar esse texto com a visão do inferno, descrita pela Irmã Lúcia, uma das três crianças videntes das aparições de Nossa Senhora em Fátima, Portugal, iniciadas no dia 13 de maio de 1917. Mas, eu mesma acabava me advertindo sobre a incoerência da minha dúvida. Afinal, se crianças foram capazes de presenciar a cena, ao vivo e a cores, não seriam os leitores incapazes de suportar a sua leitura. Por fim, atendi parcialmente a minha dúvida e suprimi do texto a descrição do local, e ao amigo leitor que quiser saber mais sobre o assunto, deixo ao final da coluna o link que traz, inclusive, a digitalização da referida carta que foi escrita em 1941.

A amorosa pedagogia de Maria, mostrou aos três pastorinhos, Lúcia, Jacinta e Francisco, com idades entre 7 e 10 anos, o local que a humanidade deixou de acreditar que possa existir, não sem antes prometer levá-los ao Céu. Assim como toda boa mãe conhece seus filhos, Nossa Senhora sabe qual é o remédio que a humanidade precisa receber em qualquer tempo: seria pelo testemunho daquelas crianças, humildes e incapazes de mentir, que uma parcela dos homens abriria seus olhos para a existência de um destino sombrio, caso não nos arrependamos de nossas más escolhas nesta vida. Afinal, basta lembrarmos que a primeira vitória do inimigo é quando ele próprio nos faz crer de que ele não existe.

A segunda parte do Segredo de Fátima está relacionada com a previsão de uma nova guerra e que seria impedida com a consagração da Rússia ao seu Imaculado Coração e com a comunhão reparadora nos primeiros sábados. Maria é tão consistente em suas mensagens, que não há como não relacioná-las com a história da humanidade. “Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas”, disse Maria àquelas crianças que nada entendiam sobre os problemas da Rússia ou de qualquer país.

Vamos lembrar que, no ano das aparições, ocorria a 1ª. Guerra Mundial e o comunismo estava se implantando na Rússia. E, assim como naquele país, em todos os outros onde os partidos comunistas chegaram ao poder, provocaram uma onda de miséria e de morte, através da mentira e da corrupção. Genocídios, campos de concentração, torturas e fome, deixaram um rastro de milhares de mortos em seu caminho. Segundo o Livro Negro do Comunismo, escrito por um grupo de historiadores sob a direção do francês Stéphane Courtois, os regimes comunistas mataram no mundo cerca de 100 milhões de pessoas, provando ser a ideologia mais assassina da história humana, superando até mesmo o terrível nazismo.

Os erros comunistas se espalharam pelo mundo como as cinzas de um poderoso vulcão. Não é à toa que a boa Mãe do Céu abriu um vislumbre do inferno àquelas pobres crianças: a ambição do homem o cega. De tal forma, que aspira ser um novo homem, não à imagem e semelhança de Deus, mas ser ele mesmo o seu próprio deus e implantar o seu paraíso na terra. Por isso, Fátima é um alerta atemporal para os homens, mas também uma mensagem de esperança, “E, por fim, o Meu Imaculado Coração triunfará e será concedido ao mundo algum tempo de paz”.

Que as efemérides da vida nos ajudem a construir dias sempre melhores!

Para saber mais acesse:

https://www.vatican.va/roman_curia/congregations/cfaith/documents/rc_con_cfaith_doc_20000626_message-fatima_po.html

Ingrid Ulbrich
Últimos posts por Ingrid Ulbrich (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A Vaquinha, o Xisto e a Indústria
2021: o Ano do Ilustre Filho de Davi
Medjugorje: 40 anos de um Roteiro para a Paz