Registro de algumas aventuras do grupo. (Fotos: Arquivo Grupo Pedal Roda Presa)

Esta é a terceira reportagem sobre o ciclismo em São Mateus do Sul. Na primeira da série você conheceu um dos praticantes de modalidades radicais do ciclismo, como o Downhill e o Freeride, já na segunda apresentamos como o esporte pode aproximar ainda mais uma família. Nesta edição trazemos a entrevista sobre o grupo Pedal Roda Presa, que compreende cerca de 30 amigos que dividem o gosto pelo ciclismo com risadas, companheirismo e bons momentos pedalando por toda a região.

O grupo é composto por profissionais do ciclismo e amadores, aqueles que só pedalam por diversão e sem compromisso com metas. Um dos integrantes, Clayton Cegan Cauca, de 25 anos, conta que hoje pode dizer que hoje faz “parte de um grupo, que posso chamar de grande família”.

Clayton é quem explica que o grupo conta com cerca de 30 participantes, entre esportistas e amadores, e fazem diferentes rotas turísticas aos finais de semana de acordo com o que os amigos combinam.

“Durante a semana são debatidos rotas a serem feitas, horários dos pedais, se será necessário carro de apoio etc., buscando sempre percorrer pontos turísticos de nossa cidade e municípios vizinhos”, explica. Clayton também comenta que não há um dia fixo em que sempre pedalam, pois é necessário combinar as agendas dos participantes. “No grupo fazemos pedais semanais, geralmente sábados e/ou domingos, dependendo da disponibilidade da maioria”, conta.

Pandemia

A pandemia do Coronavírus afetou diferentes áreas da sociedade, como a economia, a educação os esportes e principalmente a saúde das pessoas. E não se trata apenas daquelas que infelizmente contraíram o vírus, pois muitas pessoas tinham vidas atribuladas, com diversas atividades e de repente tudo teve que parar, e isso afeta de diferentes maneiras as saúdes física e mental.

Para muitas dessas pessoas o ciclismo surgiu como uma possibilidade de desestressar da rotina de isolamento, conhecer a cidade de um jeito diferente e também de melhorar o condicionamento físico.

“Mesmo com a questão da pandemia, podemos perceber que houve um aumento de ciclistas em nossa cidade, talvez pelo motivo da quarentena, que já estava ou está ainda nos deixando malucos, doidos para continuar nossa rotina normal”, percebe Clayton. Por conta de não demandar contato físico ou exigir proximidade de outras pessoas, o ciclismo se tornou essa alternativa esportiva na pandemia.

Clayton complementa que “muitas dessas pessoas buscaram a bicicleta como uma rota de fuga, para esquecer um pouco essa tensão, e ao mesmo tempo buscar uma saúde melhor”.

E ele está correto. De acordo com diversas pesquisas científicas, diversos benefícios à saúde estão relacionados com o ciclismo, como o fortalecimento da musculatura, melhora da saúde do coração, redução do estresse, melhora na respiração e também no equilíbrio.

Um pouco mais sobre o entrevistado do grupo

Clayton tem 25 anos de idade e comenta que a bicicleta sempre fez parte de sua vida, pois “desde a infância até os dias de hoje, para ir ao trabalho e nos momentos de lazer”. Sua relação com a bicicleta, como o leitor percebe, já se estende por cerca de duas décadas e não é com pouca reverência que ele fala do esporte.

“O amor, prazer e dedicação por pedalar surge no momento em que ao perceber que utilizando mais a bicicleta eu estaria mantendo tanto minha saúde física, mental e espiritual em dia, e além disso poderia estar motivando mais pessoas a seguir este caminho, onde conseguimos nos conectar com nós mesmos”, declara.

Ele já participou de competições, porém não é algo que atraia muito de sua atenção, pois afirma que prefere desafiar a si mesmo, superar seus próprios limites e sempre buscar sempre evoluir.

Com o grupo as pedaladas são aos sábados ou aos domingos, mas durante a semana faz pedaladas sozinho. Contudo, ressalta que mesmo quando vai sozinho jamais deixa “o incentivo aos outros para trás, seja os que estão iniciando ou até mesmo os que praticam a mais tempo que eu, pois assim eu consigo buscar inspiração para seguir em frente sempre”.

A quem está pensando em iniciar no ciclismo, Clayton deixa um recado: “para você que procura uma saúde melhor, um lazer, venha fazer parte deste mundo, a bicicleta proporciona momentos incríveis, venha e faça parte também do nosso grupo, siga-nos no Instagram: Pedal Roda Presa SMS”.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
1º Campeonato de Tênis de Mesa é realizado em São Mateus do Sul
10 anos de trabalho voluntário em prol ao esporte
A paixão pelo pedal: Chico Pissolatto é homenageado em II Passeio Ciclístico