Odontologia e Saúde Bucal - Valéria Kruchelski Huk

O dente quebrou, e agora?

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Traumatismo dentário é considerado a situação em que parte das estruturas de um dente são quebradas, podendo levar até mesmo a perda total do dente. Geralmente observamos essas fraturas dentais (dentes quebrados) em crianças com idade escolar e frequentemente meninos, consequência, muitas vezes, de brincadeiras, quedas, acidentes esportivos, etc. No entanto, esses traumas também podem ser observados em adultos.

A fratura de um dente é considerada uma urgência, ou seja, o atendimento nesses casos deve ser imediato para que se possa salvar o dente ou o pedaço que quebrou.

Quais são os tipos de fraturas (quebras) dentais?
Podemos classificar de forma simplificada em:
1- Fratura do esmalte (quebra da parte mais superficial do dente)
2- Fratura em esmalte e dentina (quebra de uma região mais extensa de dente – nesse caso devemos observar se a fratura não afetou a polpa – nervo – do dente)
3- Avulsão (perda total do dente, ou seja, nesses casos o dente sai inteiro de dentro da gengiva, é possível observar a coroa e a raiz)

O que fazer em cada caso?
1- Fratura do esmalte: armazenar o pedacinho do dente quebrado em água, soro fisiológico ou leite e levar ao dentista. O dentista irá observar se poderá ser feita a colagem desse pedaço que quebrou ou se deverá fazer uma restauração.
2- Fratura do esmalte e dentina: armazenar o pedacinho do dente quebrado em água, soro fisiológico ou leite e levar ao dentista. O dentista irá observar se poderá ser feita a colagem desse pedaço que quebrou ou se deverá fazer uma restauração. Nesses casos o dentista irá observar se há ou não envolvimento com a polpa (nervo) do dente. Em casos mais severos, de envolvimento da polpa do dente, poderá ser necessário o tratamento de canal antes da restauração.
3- Avulsão ou perda total do dente: fazer a limpeza do dente em água corrente, não esfregar e não lavar com sabão ou esponja. Armazenar o dente em água, soro fisiológico, leite ou até mesmo dentro da boca (embaixo da língua) e procurar o dentista imediatamente para que o dente possa ser reimplantado. O importante nesses casos é manter o dente úmido e ir o quanto antes no dentista, caso contrário o reimplante do dente não terá sucesso.

É importante observar alguns aspectos que diferenciam o paciente adulto do paciente infantil. Quando se trata de uma criança devemos seguir as mesmas orientações acima, no entanto, não devemos armazenar o dente dentro da boca do paciente (embaixo da língua) porque a criança corre o risco de engolir ou aspirar o dente. Além disso, os dentes de leite que são avulsionados (quando saem inteiros com coroa e raiz) nem sempre serão reimplantados, isso porque o dente permanente já está se formando.

Essas orientações podem ajudar em alguns casos, mas nem sempre será possível fazer a colagem ou o reimplante do dente. No entanto, procurar o dentista de sua confiança trará a melhor opção de tratamento, melhorando a estética e trazendo um sorriso bonito novamente.

Referência:
http://base.repositorio.unesp.br/bitstream/handle/11449/15711/S0103-05822009000400015.pdf?sequence=1

Últimos posts por Valéria Kruchelski Huk (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Teste da Linguinha: você já ouviu falar?
Bruxismo, você sabe o que é?
ATM e DTM: o que são?