Máquina do Tempo

O dia em que São Mateus do Sul virou notícia nacional

Em um novembro de 1978, aconteceu numa praça pública de Araucária uma homenagem ao então na época, presidente do Brasil, o General Ernesto Geisel. Nesta homenagem, estavam presentes autoridades públicas da cidade de Araucária, e prefeitos de cidades da região, inclusive o de São Mateus do Sul, na época, Luiz Renato Amaral. O aperto de mão do presidente com o corpo político presente, fez parte do protocolo da cerimônia, contudo, quando Geisel cumprimentou o prefeito são-mateuense, ambos demoraram numa troca de palavras. Todos ali presentes ficaram curiosos para saber o conteúdo da prosa. Pois bem, a “fofoca” do presidente e do prefeito não ficou em segredo, além de mencionar São Mateus em seu discurso, o assunto entre os dois virou notícia nos periódicos locais e até mesmo num jornal de grande circulação nacional, o Estadão. Segue abaixo sua transcrição:

“Após o encontro com os dirigentes da Acampar, Geisel, ainda na pequena praça de Araucária manteve breves contatos com os prefeitos de municípios da região. O de São Mateus do Sul, onde a Petrobrás está construindo uma usina para aproveitamento do xisto pirobetuminoso, disse ao presidente que a economia ervateira regional atravessa no momento algumas dificuldades e pediu apoio do governo federal para permitir a expansão das exportações, principalmente para o Uruguai. Geisel quis saber pormenores e acabou ouvindo do prefeito a confissão de que pelo desestímulo à produção de erva mate está correndo o risco de acabar”.

O início da construção da usina em São Mateus do Sul se deu em 1972, e Geisel era presidente da Petrobrás nessa época. Portanto, o interesse em relação ao município se deu em meio ao famoso “milagre brasileiro”, uma época de crescimento econômico, obras faraônicas, como a Transamazônica e a Ponte Rio-Niterói. A construção da usina, trouxe a São Mateus pessoas oriundas de diversas partes do país. Por conseguinte, o perfil econômico da cidade começou a mudar, pois até então era pautado principalmente, na produção ervateira. Assim, o comércio local desenvolveu-se, a atividade hoteleira cresceu, e isto trouxe uma nova demanda de mão-de-obra que se deslocou da zona rural para a área urbana. Aliado a isto, em 1975, ocorreu a Geada Negra, ocasionando queda na produção agrícola paranaense durante anos. Tais circunstâncias, explicam a queixa do prefeito, sobre o declínio da produção de erva-mate, assim como seu respectivo pedido ao presidente. O país vivia a época do regime militar e dispunha de uma economia mais fechada. Aproveitando a abertura econômica em andamento, veio o pedido do prefeito para exportar o mate para o Uruguai, uma alternativa para salvar a produção local. Com erva-mate e xisto, vou ficando por aqui, desejo a todos os leitores um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo! Ano que vem tem muito mais história na nossa máquina do tempo!

Jéssica Kotrik Reis Franco
Últimos posts por Jéssica Kotrik Reis Franco (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A lenda Guarani da Erva-Mate
Quem foi a verdadeira Cleópatra?
Doces ou Travessuras?