(Imagem Ilustrativa)

Vinde a mim, todos os que andais em sofrimento e vos achais carregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve. (Mateus, XI:28-30).

Todos os sofrimentos: misérias, decepções, dores físicas, perdas de seres queridos, encontram sua consolação na fé no futuro, e na confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens. Sobre aquele que, pelo contrário, nada espera após esta vida, ou que simplesmente dúvida, as aflições pesam com todo o seu peso, e nenhuma esperança vem abrandar sua amargura. Eis o que levou Jesus a dizer: “Vinde a mim, vós todos que estais fatigados, e eu vos aliviarei”.

Jesus, entretanto, impõe uma condição para a sua assistência e para a felicidade que promete aos aflitos. Essa condição é a da própria lei que ele ensina: seu jugo é a observação dessa lei.

Mas esse jugo é leve e essa lei é suave, pois que impõe como dever o amor e a caridade.

Fonte: O Evangelho Segundo o Espiritismo


A situação que o mundo vive, restrito pela pandemia, nos convida a refletir sobre as palavras de Jesus, que exorta o amor e a caridade, colocando como lei para ser cumprida.

Nunca precisamos tanto de caridade como nos dias de hoje, não importando nossa condição financeira. Assim como somos dependentes, também somos devedores desse amor e dessa caridade.

Respeitar todos os protocolos sanitários, para não colocar em risco de contaminação nosso próximo, é um ato de amor.

Manter os cuidados necessários para não adoecer de outras enfermidades, não se envolver em situações que podem terminar em acidentes, se prevenir de qualquer situação que te obrigue a procurar assistência medica, é caridade pura para aquelas pessoas que estão na fila por um leito de hospital e de um profissional de saúde para atendê-lo.

Por amor e por caridade faça a tua parte, se puder ficar em casa, fique, para que aqueles que precisam sair, consigam executar seus trabalhos com mais tranquilidade, sem risco de aglomerações.

O momento exige esforço redobrado de todos, principalmente de quem se intitula cristão, que tem, pela sua fé, a obrigação de preservar a vida, sua e de seus próximos.

Que o bom Deus nos abençoe a todos e o divino mestre nos inspire na pratica do amor e da caridade.

Oscar Okonoski
Últimos posts por Oscar Okonoski (exibir todos)

Comentários

MATÉRIAS RELACIONADAS
Escola e hospital
É tudo família!
Tudo passa