O Kasarão da Manuxa recebeu bailes e encontros da terceira idade durante muitos anos, além de ter representado a arquitetura tradicional polonesa no município. (Foto: Éber Deina/Gazeta Informativa)

A arquitetura histórica do município de São Mateus do Sul é marcada por muitos aspectos relativos à colonização polonesa, bastante presente em nossa cidade. Um dos principais elementos foi a construção de casas e casarões de madeira, cujo telhado era ornamentado por lambrequins. O lambrequim é um adorno arquitetônico recortado, colocado no beiral de algumas residências levantadas pelos poloneses. A prática se tornou um hábito cultural e ainda hoje algumas construções em nossa cidade, exibem o ornamento.

A história recente do Kasarão

Localizado ao lado do Estádio Municipal Olívio Wolff do Amaral, está um casarão cujas características refletem muito a cultura dos imigrantes poloneses que se instalaram e ajudaram na construção do nosso município.

O Kasarão, como passou a ser carinhosamente chamado nas duas últimas décadas, foi construído originalmente na década de 1940, aproximadamente. Ao longo de muitos anos, a construção passou por uma situação de abandono. Em 2006 o imóvel foi adquirido pela família Golombieski Siben, transformando e reformando o ambiente.

Os bailes e a Terceira Idade

Os irmãos Rodrigo e Isis Golombieski Siben comentaram sobre os momentos durante os quais a família cuidou do casarão. “O Kasarão esteve em nossa família desde 2006, até o final de 2019. Na época a nossa mãe, a Maria Lourete (conhecida popularmente como Manuxa), estava envolvida em um trabalho social com a terceira idade e inicialmente adquiriu o espaço para receber os encontros do grupo. Por sua vez, nosso pai Ozir, embarcou com ela nessa missão e com um lindo trabalho de dedicação, amor e carinho, transformaram aquele antigo imóvel abandonado no Kasarão”, declararam Isis e Rodrigo.

A missão inicial se materializou e também se transformou. O local, que inicialmente receberia encontros vespertinos do grupo da terceira idade, passou a também ser uma casa de eventos. “Nosso pai, muito ligado à música estava muito feliz com as consequências naturais da mudança de foco do negócio. Nossa mãe, sempre muito comunicativa, adorava estar em meio ao público. A realização de bailes se tornou um momento de grande satisfação para ela”, comentou Rodrigo.

A valorização da construção histórica

A dedicação da família sempre foi muito visível em termos de investimentos no Kasarão. “Nossos pais dedicaram os seus últimos anos de vida dentro dessa casa ícone para nossa cidade e fizeram tudo que foi possível para manter o amor dedicado e a qualidade do imóvel. Em termos arquitetônicos, foi mantida a fachada e o aumento físico do ambiente respeitou a estrutura histórica, sendo fiel ao reconhecimento que a imigração polonesa significou para São Mateus do Sul”, comentaram os irmãos. Os filhos do casal mantiveram as atividades enquanto foi possível. Por razões pessoais, em 2019 esse ciclo foi encerrado e o imóvel repassado a outro proprietário. As histórias e lembranças vividas no Kasarão serão eternas, enquanto alimentadas pela memória popular.

A importância do Patrimônio Histórico

A memória é registrada através de diversas formas. O Patrimônio Histórico é um desses registros, envolvendo ruas, construções, prédios e elementos arquitetônicos que representam muito daquilo que já foi vivido e construiu nosso município há mais de uma centena de anos atrás. A discussão acerca do patrimônio e dos tombamentos, envolve diversos aspectos e cada caso tem suas particularidades especiais. Não é possível afirmar que ele seja a alternativa mais viável para todos os casos. O fato é que a preservação das construções antigas do município, representa uma maneira de mostrar às gerações mais jovens suas origens, valorizando a cultura local.

Selmo de Freitas Scremin é historiador professor na rede estadual de ensino público. Ele comentou sobre a questão do Patrimônio Histórico. “ Na nossa cidade, que é muito marcada pela cultura polonesa, temos que tomar cuidado para que o passado não sobreviva apenas em fotos. Algumas casas tradicionais, como o antigo tabelionato Schramm e a Casa Bronze, já não estão mais em pé. Dessa maneira, o processo de diluição da história é acelerado. A atuação dos poderes públicos é muito importante na manutenção da história local”, declarou ele.

A situação atual do Kasarão

A propriedade na qual está localizada o Kasarão foi comprada pelo Grupo Ivasko, de Irati (PR). A equipe da empresa já apresentou um projeto de construção de um novo atacado à Prefeitura, que irá empregar cerca de 100 funcionários. O processo está em fase de autorizações e licenças para garantir o início da obra, que terá 4.246,06 m² de extensão. O Kasarão já se encontra em processo de desmontagem.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Crescimento do comércio garante São Mateus do Sul entre as principais economias da região sul do Paraná
I Festival Gastronômico tem início em São Mateus do Sul
A primeira IG de Erva-mate do Brasil é nossa