Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

O lugar de Maria na Igreja

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Um pouco de História:
Estamos iniciando o mês de Maio, tradicionalmente lembrado na Igreja Católica como o Mês Mariano. Essa é uma tradição vinda da Europa, um continente com raízes profundamente cristãs. Lá nesse período se dá o apogeu da primavera, as chuvas que antecipam o inverno florescem os campos e vem as flores. Maio é chamado também “O Mês das Flores”, e desde a Idade Média se fez essa referência das flores com as virtudes e belezas da Mãe de Deus.

A primeira notícia clara que se tem dessa referência de Maria ao Mês de Maio vem de Alfonso X, o Sábio, rei da Espanha, no século XIII. Este rei – Juglar, cantava em suas “Cantigas de Santa Maria” os louvores de Maio em honra de Maria. E no continente Americano foram os missionário espanhóis que trouxeram essa tradição, por isso a grande devoção popular e afeto por Maria que se tem, em especial nos países da América Latina, como no caso do Brasil.

Devoção Popular e Más interpretações:
Nosso país cultiva uma grande devoção popular a Maria; o povo brasileiro tem práticas religiosas que expressam um afeto explícito a Nossa Senhora; há de se observar as romarias a santuários marianos. É um gesto bonito, com seu valor de fé sem dúvida nenhuma; fé que gera nas pessoas Graças alcançadas e desejo de gratidão pela ajuda, auxílio, intercessão de Maria. Por ser Maria uma figura materna, o povo tem esse sentimento de busca de afeto, de carinho, de gesto maternal como uma mãe tem para com seus filhos e, essa sensibilidade se expressa também nos atos de fé; buscam uma fé não somente pelo conteúdo doutrinal religioso, mas pela afetividade expressa na ternura de Maria.

Tamanha é a devoção popular à Maria, que alguns de outras denominações religiosas até estranham, interpretando que estão tirando Jesus do centro da fé cristã, e que os devotos estão substituindo Jesus como Deus, por uma pessoa humana, seja Maria ou algum Santo(a). Surge a crítica que os católicos praticam idolatria, adorando Nossa Senhora e as imagens dos Santos, se esquecendo de Jesus.

Importante Lembrar:
Para católicos e não-católicos é importante saber que Jesus é o centro da fé cristã, pois ele é o Filho de Deus e é Deus, é consubstancial ao Pai, Jesus e o Pai tem a mesma divindade; existe portanto um só Deus e só se faz adoração a Deus e não a imagens ou a outras pessoas. A devoção Mariana dos católico não configura ADORAÇÃO, ou seja, não se está substituindo Maria por Jesus ou se colocando ela mais importante do que Deus. Claro que, como dito, devido à grande devoção que se tem a Maria, herança de uma tradição e de um gesto afetuoso, há uma INTERPRETAÇÃO, por parte de não-católicos que o gesto é de substituição de Deus por uma Pessoa. A igreja Católica tem claro tal distinção, respeita e orienta seus fiéis a não colocar Maria no lugar errado. Ela tem seu lugar, seu papel na História da Salvação, tem seu mérito, mas não toma o lugar de Seu Filho Jesus na fé católica. Até mesmo a Oração do Terço, mesmo que se rezem as Ave-Marias, se medita os Mistérios da Vida de Jesus, é uma oração Cristológica.

Saiba que…
Para a Igreja Católica, assim como os Santos (homens e mulheres que deram testemunho de sua fé em Jesus), Maria é também intercessora nossa, junto a Jesus. A intercessão de Maria é participativa junto com Jesus, mas não tira o lugar Dele. Mesmo crendo que Jesus é o Único Mediador nosso junto do Pai, a Igreja crê que não é prejuízo para a fé em Jesus Cristo pedir o auxílio de Sua Mãe. É diferente a interpretação que se tem, as profissões religiosas não-católicas.

Maria foi a grande colaboradora na História da Salvação. Escolhida por Deus para ser a Mãe do Nosso Salvador Jesus, deu seu Sim ao Projeto de Deus; é Modelo de Fé em Deus para nós diante das dificuldades. E por isso, pedimos a ela sua intercessão, suas Graças, para que cheguemos como ela chegou, sempre mais perto de Jesus, nosso Único Deus e Salvador.

Saibamos assim, católicos e não-católicos, a clara diferença do Lugar e do Papel de Maria e de Jesus, para não gerarmos erros de compreensão e não sermos injustos nas declarações.
Abençoado Mês de Maio a todos! Que Maria seja Caminho que nos conduz a Deus.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Brasileiro contribui no Novo Documento do Papa
Que diferença fazemos?
2015: Um ano para a Paz