O casal Vanessa e Leandro e as gêmeas Lara e Lívia após o parto. O sentimento de amor permanece vivo entre os quatro. (Acervo Pessoal)

No dia 9 de abril, aconteceu o nascimento das gêmeas Lara e Lívia, filhas do casal Vanessa Sant’Anna e Leandro Vitek. A história de amor entre eles e as pequenas foi retratada na edição nº 253 da Gazeta Informativa, veiculada no início do mês, dia 3. Após a descoberta da gravidez de gêmeos, no terceiro mês de gestação uma ecografia apontou que as meninas possuíam anencefalia, uma situação de má formação cerebral que impossibilita a vida das crianças fora do ventre da mãe. Apesar disso, Vanessa e Leandro decidiram conduzir a gravidez até o momento do parto, celebrando todos os dias a companhia das pequenas e o amor emanado por elas.

O apoio dos familiares e amigos foi a válvula mais importante na motivação para que o casal seguisse em frente. Após aproximadamente oito meses de gestação, as pequenas Lara e Lívia chegaram ao mundo, já sem vida. A semente de amor plantada por elas no coração de seus pais continua pulsando firme em meio àqueles que as amaram desde os primeiros instantes da gestação.

A decisão de cultivar a gravidez até os momentos finais uniu ainda mais Vanessa e Leandro, que encontram forças e motivação no amor e em Deus para continuar colhendo frutos e alegrias juntos. “Pude pegá-las em meu colo e admirá-las, elas eram muito pequenas e lindas. Pude dizer o quanto eu as amo e assim, nos despedimos. Por mais que esse momento tenha sido curto, foi o suficiente para ficar eternizado em meu coração”, declarou Vanessa.

O sentimento de perda sentido pelo casal também ficou marcado nos últimos dias. “A sensação de vazio não tem fim. Junto com minhas anjinhas também foi embora um pedaço de mim, uma parte que jamais voltará. Apesar disso, tenho certeza de que elas cumpriram seus propósitos aqui na Terra e voltaram para os braços de Jesus”, desabafa ela.

No entanto, o poder transformador do amor e da comunhão também se fazem muito presentes no imaginário e na vida dos dois. “Fizemos tudo que estava ao nosso alcance e eu me doei de corpo e alma às minhas filhas. Transmiti todo o meu amor e elas transformaram a minha vida”, conclui Vanessa. O casal ainda destacou o apoio médico e psicológico através do qual a situação se tornou um pouco menos dolorosa. “O atendimento humanizado prestado pelos profissionais que tivemos contato também foi essencial nesse processo de aprendizado e amor”, encerra o casal.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A coleção cheirosa com mais de 1,2 mil vidrarias de perfume
Casamento de casal surdo emociona familiares em comunidade de São João do Triunfo
A trajetória e o carisma de Nigia Gogola