Histórias de Terra e Céu

O Nono Planeta

Foto: www.sandcarioca.wordpress.com

Foto: www.sandcarioca.wordpress.com

Quantos planetas temos no Sistema Solar? A resposta desta pergunta pode variar de acordo com o ano em que ela tenha sido feita. Até 1780 a resposta seria “seis”. Mas aí Urano foi descoberto e a família aumentou. Só que a órbita de Urano não se comportava de acordo com as previsões matemáticas, e foi proposta a existência de um oitavo planeta, responsável por perturbar Urano. Em 1846 Netuno entrou para a família, que ganharia a presença do caçula Plutão em 1930. Mas em 2006 Plutão foi rebaixado para a categoria de “planeta-anão”, e o Sistema Solar voltou a ter oito planetas. Os livros de ciências foram todos modificados para se adequar à nova realidade… Mas nesta semana os astrônomos anunciaram que a família pode estar aumentando novamente. Embarque comigo nesta história!

O homem que diminui o número de planetas do Sistema Solar chama-se Michael Brown. Quando ele encontrou o planeta-anão Éris, após Plutão, gerou a discussão se Plutão seria ou não um planeta, e a assembleia de astrônomos que criou a definição de planeta, acabou rebaixando Plutão. Mas o interessante é que este mesmo cientista pode estar dando-nos novamente um novo planeta. Uma pesquisa de autoria de Brown (foto, à esquerda) e de Konstantin Batygin (foto, à direita), publicada no Astronomical Journal, aponta evidências sólidas da existência de um planeta após Netuno, com massa 10 vezes maior do que a da Terra (e cinco mil vezes maior do que Plutão).

Este planeta levaria entre 10 e 20 mil anos para dar uma volta em torno do Sol e estaria a uma distância do Sol 20 vezes maior do que Netuno. Mas como estes astrônomos chegaram à conclusão de que tal planeta existe? Eles observaram o planeta? A resposta é “não”. Brown e Batygin analisaram o comportamento de seis objetos que ficam no Cinturão de Kuiper (um local no espaço, após Plutão, que abriga diversos milhares de corpos celestes rochosos e gelados), e estes objetos parecem sofrer o efeito da gravidade de algo maior. Os cálculos deles apontam que a probabilidade deste comportamento ser casual seria de 0,07% (ou seja, muito baixa).

A publicação deve desencadear uma corrida mundial para tentar achar o nono planeta. Os observatórios com grandes telescópios irão criar programas de busca e, talvez, em breve, tenhamos que mudar novamente os livros de ciência, voltando a contar para nossos filhos e alunos que o Sistema Solar tem nove planetas.

Se você tiver curiosidade, dê uma olhada nos sites que relatam esta descoberta. Vai ficar impressionado com as informações sobre o novo planeta, mas também vai se surpreender ao ler os comentários dos leitores, pois já há um monte de gente fantasiando que este planeta é o tal Nibiru, que virá destruir a Terra etc… Ou seja, se o Sistema Solar tem aumentado e diminuído ao longo do tempo, a ciência e a ignorância humana conseguem o incrível feito de sempre crescerem.

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
As mentes que imaginaram nosso principal símbolo
O “Gritador” e o clamor dos degolados
Somos filhos das estrelas!