(Imagem Ilustrativa)

Alguém aí já viu um bacalhau nadando, dando sopa por aí? Ou já viu alguém que pescou aquele bacalhau fresquinho, pronto para ser preparado com batatas, pimentão e tomates? Não, né?

Talvez porque ao contrário de que muita gente imagina, bacalhau não é uma espécie de peixe, mas sim uma técnica culinária de conservação que passa pelo processo de salga e secura.

Comumente, em Portugal, a espécie de peixe utilizada para fazer bacalhau é Gadus Morhua, encontrado nos mares do oceano Atlântico Norte; e apesar de algumas espécies de peixe poderem virar um bacalhau, este é o considerado “O verdadeiro”. Proveniente da Noruega, de carne amarelo-palha e, quando cozida, se desmancha em lascas de tamanho uniforme.
Ainda na época dos Vikings, que viajavam por meses através dos mares e não tinham, na época, geladeira ou métodos efetivos de resfriamento; então esses Vikings inventaram uma maneira simples de conservar os peixes: secando-os ao sol.

Mais tarde, a partir do ano 1.000, que os povos bascos — já conhecedores do sal — introduziram a salga nesse processo e, anos depois, um holandês criou a primeira indústria de transformação de peixes na Noruega, onde os peixes eram limpos e passavam por um processo de secura e salga, que dava a cor, textura e o sabor.

Mas foi em Portugal, também pela necessidade de conservação dos alimentos, que os portugueses aperfeiçoaram a técnica dos noruegueses e até hoje são referência na tradição desse sabor que conhecemos até hoje.

Então bacalhau não é uma espécie de peixe?

Não, é apenas nome que damos a peixes específicos depois de um processo de salga e secura, e se você quiser fazer bacalhau em casa com aquela tilápia que você pescou no fim de semana, é super simples:

Basta colocar as postas sobre uma camada generosa de sal grosso e cobrir com outra camada generosa de sal [grosso].

O peixe precisa ficar todo em contato com bastante sal, para desidratar e conservar.

Cubra a travessa com plástico filme e deixe na geladeira por uns 5 dias, depois lave as postas em água corrente e faça a dessalga trocando a água fria e limpa a cada 3 horas, por 5 ou 6 vezes, e economize aquela grana que você gastaria comprando o tradicional Gadus Morhua.

E para a páscoa que já está aí, você pode preparar essa receita tradicional e deliciosa:

BACALHOADA

INGREDIENTES

•1,5 kg de lombo de bacalhau em postas (6 postas) já dessalgados
•4 batatas asterix (a de casca rosada)
•2 pimentões amarelos
•2 pimentões vermelhos
•2 xícaras (chá) de tomate-cereja
•2 cebolas
•2 cabeças de alho
•1 xícara (chá) de azeitonas pretas
•1/4 xic alcaparras
•1 ½ xícara (chá) de azeite
•3 ramos de louro
•Salsinha e cebolinha para decorar
•sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto

Faça assim:

•Preaqueça o forno a 200 ºC (fogo médio).
•Corte cada pimentão ao meio, no sentido do comprimento retire as sementes; corte em quadrados grandes.
•Corte as cebolas em quartos.
•Corte as batatas com casca no sentido do comprimento, em 6 pedaços, fazendo canoas de batata.
•Corte cada posta de bacalhau ao meio, no sentido da largura, Coloque uma panela e cubra com água, adicione as folhas de louro, as cabeças de alho com a casca mesmo e leve ao fogo médio. Quando começar a fervura, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 5 minutos.
•Retire as postas de bacalhau e transfira para um refratário. Mantenha a panela com a água no fogo e coloque batatas para cozinhar por aproximadamente 10 minutos, elas devem ficar cozidas mas ainda firmes.
•Escorra as batatas, as cabeças de alho e os ramos de louro, tirando todo o excesso d’água.
•Regue o fundo de uma assadeira grande de 40 cm x 35 cm com ½ xícara (chá) de azeite. Disponha as postas de bacalhau deixando espaço entre cada uma. Entre as postas, distribua as batatas, os pedaços de pimentão, os tomates, as cebolas, as cabeças de alho, as azeitonas, as alcaparras e as folhas de louro. Tempere com sal e pimenta a gosto e regue tudo com o restante do azeite.
•Cubra a assadeira com papel-alumínio com o lado polido [brilhante]voltado para o alimento e leve ao forno para assar por 30 minutos. Retire o papel-alumínio, regue o bacalhau e os legumes com o líquido do fundo da assadeira e asse por mais 15 minutos. Retire do forno e sirva a seguir.

Fica uma delícia com farofa de coco e castanhas, com saladinha de folhas verdes e molhinho cítrico.

Agora já sabe, né? Se te contarem pescaram bacalhau, é tudo história de pescador.

Bom Apetite e Feliz Páscoa!

Lincoln Molinari
Últimos posts por Lincoln Molinari (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A pressa é inimiga da digestão
Porque comemos o que comemos?
O Flambado