Profissões

O profissional frentista e o cuidado com os clientes

Trabalhando há 2 anos nesse ramo, Odair José Correia Cordeiro, de 25 anos, é frentista do Posto Triângulo, que atua desde 1957 pelos comandos da família Dudziak em São Mateus do Sul. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

E m mais uma matéria direcionada para o tema das profissões, na edição dessa semana você acompanhará como é o dia a dia de um frentista, profissional responsável pelo cuidado dos clientes na hora do abastecimento do veículo.

Trabalhando há 2 anos nesse ramo, Odair José Correia Cordeiro, de 25 anos, é frentista do Posto Triângulo, que atua desde 1957 em São Mateus do Sul pelos comandos da família Dudziak.

Morando nas proximidades do posto, Odair relembra que conheceu a área acompanhando o trabalho realizado pelos frentistas quando passava pelo local. “Sempre gostei de lidar com o público, e isso facilitou com que eu aprendesse sobre a profissão e fosse contratado”, comenta.

O frentista é responsável pelo abastecimento do veículo nos postos de combustíveis. Possuindo um trabalho de grande responsabilidade e risco, o salário e carga horária são controlados pela periculosidade.

De acordo com o Artigo 193 da Consolidação das Leis de Trabalho (CLT), o trabalho em condições de periculosidade assegura ao empregador um adicional de 30% sobre o salário sem os acréscimos resultantes das gratifi cações, prêmios ou participações nos lucros da empresa.

Por manter o contato direto com os combustíveis e a exposição aos solventes da gasolina (benzeno, tolueno e xileno), os frentistas devem prezar pelo cuidado na hora de manusear esses tipos de produtos que podem trazer problemas para a saúde. Sabendo desses riscos, Odair explica que algumas precauções precisam ser tomadas nos procedimentos no momento de abastecimento. A equipe também conta com uniforme feito com tecido específico para o manuseio desses produtos.

A profissão de frentista vai muito além do atendimento direto com o abastecimento, mas sim, proporciona uma relação de cuidado do profissional com os clientes. “Sempre alertamos quando alguém chega até o posto fumando ou mantém o veículo ligado na hora que vamos efetuar o abastecimento”, explica o frentista.

Por conta dos altos valores nos preços dos combustíveis no Brasil nos últimos tempos, Cordeiro comenta que sempre se mantém informado sobre os impostos atribuídos que caem sobre os produtos, explicando para os clientes o motivo dos valores que chegam até as bombas.

Da esquerda para direita, Odair José Correia Cordeiro, frentista mais novo do Posto Triângulo que atua há 2 anos na empresa, e Anilton Santos, funcionário mais experiente do posto que atua há 35 anos na área.

Anilton Santos atua como frentista há 35 anos no Posto Triângulo, e é o funcionário que trabalha há mais tempo na equipe. Instigado sobre as oportunidades que o trabalho lhe trouxe, Anilton brinca: “se fosse para contar todas as histórias que já vivi e passei por aqui, escreveria mais de um livro.”

Por ser um posto localizado nas proximidades da BR, Anilton relembra que já visualizou muitos acidentes e presenciou momentos de tristeza por conta de falecimentos. Em contrapartida, ele comenta que conseguiu ajudar muitas pessoas.

Profissionais de bom papo e simpatia, Odair e Anilton somam à equipe, que trabalha todos os dias no município de São Mateus do Sul. “Um dos meus principais recados de incentivo para quem tem interesse em entrar na área é a afinidade em lidar com os clientes. Faço amigos todos os dias, e isso vai muito além do lado profissional”, afirma Odair.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Medicina Anestesiologista: o cotidiano de quem trabalha diretamente na área
Bombeiro Comunitário: profissão voluntária de coragem e dedicação
Mestre de Cerimônia e Assessoria de Eventos: a organização do inesquecível