Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

O Recomeço

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

Como é bom ter uma nova chance, não é amigo(a) leitor(a)? Como é bom receber a oportunidade de poder recomeçar, reinventar.

Um ano se passou desde que começamos a nos comunicar por meio deste veículo de informação, na época ainda em sua versão on line. Quantas coisas fizemos durante 2015. E os propósitos que nos propusemos no final do ano passado. Conseguimos realizar?

Então. Estamos ganhando mais uma chance para recomeçar, para sermos melhores. ‘Virar o ano’, apesar de ser apenas uma marcação cronológica, aproveitamos como grande oportunidade para reavaliar nossa vida.

Todos nós queremos melhorar, ser alguém mais feliz, de bem com a vida, realizado no que fazemos. Para isso, é preciso dar o primeiro passo: a avaliação de como estamos vivendo.

Mesmo que todo dia seja dia para você recomeçar, não deixe que a virada do ano vire apenas em bebedeiras, comilanças e festejos externos. Dedique um espaço, um tempo para você avaliar a história que você está construindo. Dedique tempo para a oração, pedindo a luz de Deus para poder visualizar a vida que você está levando de modo crítico, consciente e no contexto da fé. Aí sim, nossas comemorações ganham maior sentido.

Uma vida nova não começa sem antes se fazer uma avaliação de pontos que precisamos melhorar, concertar, ajustar, organizar e caminhar nesta ‘nova vida’ que desejamos ter e que nos é oportunizada.

Nos situando no campo da fé, 2016 foi colocado pelo papa Francisco como o Ano da Misericórdia. Queremos lembrar do Amor de Deus por nós. Ele que é o autor da vida, deseja que tenhamos vida plena, vida verdadeira e por isso sempre nos propõe a amar como Ele nos amou: até a últimas consequências. Uma vida nova depende muitas vezes do perdão, da tolerância, da Misericórdia, que revela o verdadeiro amor.

O quanto nosso mundo ainda sofre por faltar estes elementos que geram paz para mundo e dentro de nós. O quanto nos afastamos das pessoas excluindo, gerando divisão, preconceitos, não nos dando conta de que somos feitos do mesmo ‘barro’ da mesma essência humana; que todo o externo é apenas uma vaidade.

Bate aí à nossa porta mais uma chance de recomeçar, de sermos melhores. Porém, é preciso não pensarmos somente em nós. Que tal sermos felizes como desejamos? Vai exigir esforço, renúncia também, mas certamente valerá a pena.

Concluindo, de minha parte desejo que você seja verdadeiramente feliz durante este ano, e que possa fazer da sua vida, uma vida plena, realizada no amor à Deus e ao próximo.

Feliz 2016 à você querido(a) leitor(a) que me acompanhou durante 2015, à você que patrocina este veículo de informação e formação, aos colaboradores deste Jornal, e aos diretores do Gazeta Informativa por me oportunizarem essa partilha no impresso e no on line.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
A contribuição dos Monges do Oriente
Viva São João!
O desafio de cuidar de si