Na imagem, da esquerda para direita Ozy Mendonça de Lima e Itaci Venâncio Lisczewski. (Foto: Acervo Itaci Venâncio Lisczewski)

Há algumas semanas postei nas redes sociais a foto de um rapaz segurando as rédeas de um cavalo, no qual há uma menininha montada. Na postagem eu desafiei os leitores a identificarem quem seria o jovem, dando como única pista o fato de que ele dava nome a uma das vias da cidade. No bate-papo de hoje vou falar sobre o “cara” da foto, mas posso adiantar que ele era simplesmente “o cara”! Embarque comigo nessa história!

Nos comentários feitos até a última segunda-feira, as seguintes pessoas tinham acertado o nome do rapaz: Celso Ronaldo de Paula, Luiz Fayad, Edelar Prohmann, Rui Franco, Dário Dafer, Selma Silva, Cristiano Balestreri e Maria Aparecida Bastos. Sim, o jovem da foto é Ozy Mendonça de Lima, nome da avenida de nossa cidade. Mas você já se perguntou quem foi esse homem que mereceu ser homenageado na principal via de São Mateus? Bom, eu também por muito tempo me perguntei isso, e a resposta foi surpreendente…

Talvez a história oficial vá lembrar de Ozy Mendonça como um homem que teve mais de um mandato de vereador em nossa cidade… Talvez ele vá ser lembrado como um dos grandes presidentes que a Câmara de Vereadores já teve… Talvez seja recordado como o político que caiu nas graças do governador Ney Braga e assumiu um cargo na Secretaria do Interior… Ou talvez seja lembrado como o cara que tinha um carisma extraordinário, que era campeão de votos e que garantia a eleição de qualquer prefeito ou deputado que se aliasse a ele.

Mas quando eu cito todas as informações acima, você talvez imagine um daqueles políticos de terno, com seus cabelos brancos e discursos rebuscados… Mas nada disso… Ozy Mendonça era simples, um jovem que veio da roça, e, ao mesmo tempo, incrivelmente persuasivo. Os inimigos reclamavam da “falta de borboletas coloridas” em seu discurso, querendo diminuir sua oratória, mas a verdade é que ele era imbatível ao defender um projeto. Já contei nesse espaço como ele reverteu uma votação de uma lei que prejudicaria os ervateiros locais, citando uma outra lei que conflitava com ela (e que algum tempo depois todos descobririam que a tal lei citada por ele não existia!).

Nos jornais da época vemos Ozy cobrando o governo do estado quanto às péssimas condições das estradas, lutando pela instalação de depósitos de erva-mate para São Mateus (e conseguindo!), pleiteando que os impostos de bebidas alcoólicas fossem revertidos para o município etc… Mas talvez o mais incrível é que esse rapaz construiu toda essa história antes dos 40 anos!

Sim, a cidade ficaria chocada no dia 7 de abril de 1964 ao descobrir que o jovem político promissor falecia no hospital de União da Vitória, vítima de um acidente de automóvel. Ozy Mendonça de Lima tinha apenas 36 anos, e seu enterro causou comoção no município. Não demoraria a colocarem o nome dele na rua da igreja (que anteriormente se chamava Cândido de Abreu).

Aproveito para agradecer à dona Itaci, que por meio de meu amigo Sandro, disponibilizou a foto do Ozy Mendonça de Lima. A propósito, dona Itaci é a menininha montada no cavalo, e tem muitas histórias da cidade para contar…

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Da Fazenda Pedreira ao Sítio do Pica-Pau Amarelo: O Petróleo é Nosso!
A Métrica de Lucas Faria
Cidade Amada