Teodora Diadio é artesã e confecciona e ensina a arte das pêssankas, uma das características da cultura ucraniana. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

As pêssankas ucranianas são uma das identidades que a cultura trouxe para o Brasil durante o período de imigração, e este artesanato permanece até os dias de hoje encantando quem o faz e recebe. Teodora Diadio, natural do município de Antonio Olinto – que possui grande número de descendentes ucranianos –, é uma das incentivadoras da arte na região, confeccionando e também ensinando as técnicas para quem deseja levar a arte à diante.

Teodora explica que conheceu o trabalho das pêssankas quando criança e se encantou com a arte manual e seu significado desde então. A jovem explica que as pêssankas possuem origem nas antigas celebrações do início da primavera, em comemoração ao retorno do sol após o rigoroso inverno das regiões eslavas. Os ovos enfeitados passavam a ser enterrados nos campos como forma de agradecimento pela boa colheita. A palavra vem do verbo “pyssaty”, que significa “escrever”. “Segundo a tradição ucraniana, a pêssanka é dada a uma pessoa querida e especial, se tornando um presente de grande valor para quem recebe”, menciona. Aniversários, casamentos, nascimentos e até mesmo falecimentos ainda são momentos de presentear alguém importante com a arte. As pêssankas se caracterizam pelos enfeites artesanais feitos em ovos. Para o cristianismo a pêssanka é rica em misticidade, trazendo mensagens especiais e a simbologia da vida.

A prática

Durante a confecção de uma pêssanka são utilizados: ovo cru, bico de pena com suporte ou “kistka”, bloco de cera de abelha, lápis, borracha, seringas e tintas. As cores possuem os seguintes significados:

Branco: pureza, virgindade, inocência;
Amarelo: luz, boa colheita e sabedoria;
Laranja: poder e resistência;
Vermelho: vigor, amor e paixão;
Azul: céu, o ar que permite a vida;
Marrom: terras e montanhas;
Roxa: vibração e nobreza;
Preta: fidelidade absoluta e eternidade.

Primeiramente os desenhos são feitos de lápis no ovo cru, formalizando a geometria desejada que também possui seus significados. As gemas e a clara são retiradas delicadamente através de uma seringa antes ou após a pintura feita sobre a casca por etapas. O bico de pena juntamente com a cera atuam como “fixadores” das cores desejadas, dando todo o resultado final das pêssankas.

Para os interessados em conhecer um pouco mais sobre a técnica, estará acontecendo neste sábado (27), no Salão Paroquial, o Slava Ukraíni, evento realizado pelo grupo Kalena de União da Vitória. Na ocasião eles estarão mostrando o passo a passo da cultura e seus significados. Também na última sexta-feira (19), Teodora esteve participando do programa GI Entrevista juntamente com Claudinei José Karpovicz do grupo Jettiá de Antonio Olinto, onde eles repassaram dicas sobre a confecção da arte. Acesse nossa página no Facebook e confira.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Resgate Gaúcho inicia suas aulas de dança no dia 9 de fevereiro
II Mostra de Folclore realizada em São Mateus do Sul proporcionou intercâmbio cultural em um espetáculo envolvente e emocionante
Projeto Shakespeare no Paraná chega em São Mateus do Sul e região