Especial

O sonho que saiu da fotografia: o são-mateuense e seu Maverick 75

A paixão por carros antigos faz parte da família Bedford, que possui um acervo de antiguidades automotivas. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Cheiro de gasolina, mãos sujas de graxa, fotografia pregada no quarto e a paixão que viajou estados para chegar até a garagem de um são-mateuense: esse é um pequeno resumo da história de Cristiano Wavrzenczak e seu Maverick 1975, que foram um dos primeiros membros do Clube Amigos do Carro Antigo, aqui do município.

Todo interesse por veículos antigos iniciou há anos e já está no sangue de boa parte da família Bedford, conhecida no município por entender da mecânica automotiva. Trabalhando na área desde jovem, Cristiano conta que o seu interesse pelo Maverick surgiu quando ele estava ajudando um primo a adquirir um carro do mesmo modelo. “Até então, eu estava quase fechando negócio para comprar um Voyage em Curitiba, quando encontramos um Maverick à venda em União da Vitória”, relembra. Realizando a legalização da documentação para o primo, depois da compra do carro os dois resolveram ir à procura de um segundo Maverick, agora para Cristiano.

Um conhecido da família, sabendo da paixão dos Bedford’s por carros antigos, presenteou Cristiano com uma fotografia em uma folha A4 de um Maverick vermelho, e essa atitude foi uma das principais motivações que fizeram o mecânico levantar dia a dia em busca do objetivo: juntar dinheiro para realizar o seu sonho. “Eu colei a foto do carro perto da cama, e todo dia, quando acordava, olhava para ela pensando que tinha que correr atrás desse meu sonho”, afirma.

O carro é do ano de 1975, e possui peças e cores originais.

Procurando o tão esperado Maverick no Mercado Livre, Cristiano recorda que o contato com a internet era muito precário, então, depois do serviço, ele ia correndo para casa procurar as ofertas dos carros no computador. “Até que encontrei o Maverick para venda em Gaurama – Rio Grande do Sul”, diz. O carro possuía um único dono, e era uma peça arrematada em um leilão. “O proprietário queria vender o carro para se casar, e aceitava apenas valores em dinheiro no negócio. Vendi meu Gol Bola e consegui juntar um pouco mais de dinheiro para a oferta.”

Conseguindo comprar o carro em 2 de maio de 2008, Cristiano, sua esposa e seu pai saíram de São Mateus do Sul rumo às terras gaúchas para buscar o Maverick 1975, modelo original e cor ouro envelhecido. “Quando estávamos arrumando o carro para trazer, o antigo dono chorava de tristeza, e eu de alegria”, comenta de maneira irreverente. Por ser uma cidade pequena, com mais de 5 mil habitantes, quando Cristiano foi abastecer a camionete que carregava o Maverick em um posto de gasolina de Gaurama, os funcionários queriam chamar a polícia pois pensavam que o carro estava sendo roubado. “É que ninguém sabia que essa relíquia estava à venda. O dono do posto disse que pagaria o dobro pelo carro, pois sempre quis comprar. Claro que eu disse à ele que esse carro ninguém me tira mais”. Cristiano diz que já ofereceram R$ 60 mil pelo Maverick, e ele afirma que nada supera o valor sentimental do veículo.

Até hoje, depois de 10 anos com o Maverick fazendo parte da família, os passeios pelo Centro de São Mateus do Sul ainda deixa os olhos da população brilhando. O carro sempre bem ilustrado que ressalta ainda mais a antiguidade da década de 70 também participa de celebrações de casamento, pois Cristiano junto da esposa, trabalham com esse tipo de serviço no município. O carro já ganhou prêmio de destaque nos tradicionais encontros de carros antigos, pois foram fabricados poucos exemplares do modelo nesta cor.

CHARGE:

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Grupo resgata a integridade do idoso em São Mateus do Sul
#SomosTodosCompatíveis: a história de Vicente com a Síndrome do Amor
De passeio histórico ao ecoturismo: dicas de viagens para as férias no Paraná

Os comentários estão fechados