30 casas serão repassadas em meio a um cenário que tem em torno de 300 famílias sem moradia própria cadastradas.
(Fotos: Geraldo Bubniak/Cohapar)

A Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), ligada ao Governo do Paraná, é a responsável pela construção de 30 novas casas populares em São João do Triunfo e seleção dos mutuários. A prefeitura cedeu o terreno para a execução do projeto que contempla o déficit de moradias, com 295 famílias inscritas. As últimas habitações de modalidade similar foram entregues em agosto de 1994.

O saudoso Olisses Bacil era o prefeito, que havia assumido em decorrência da morte de Elias Demetrio Hauagge, quinze dias antes da posse de 1º de janeiro de 1993. O conjunto homenageou Elias Bacil, pai e mentor político do então gestor municipal. A partir de então, somente em 2020, a Cohapar investe num novo conjunto habitacional que está sendo erguido ao lado da Câmara de Vereadores.

Conforme o gerente regional da Cohapar, Lúcio Levy Castilho, as novas casas tem previsão de entrega para o mês de novembro. Além da obra em si, cabe à Companhia a seleção das famílias e a socialização do novo conjunto. As moradias terão laje de concreto, dois quartos, banheiro, cozinha e sala de estar. Serão entregues com piso, portas, janelas, chuveiro, vaso sanitário, tanque e todos os acabamentos essenciais.

A maioria das habitações tem 38 metros quadrados e algumas possuem 47,66 metros quadrados. Estas destinadas especialmente para pessoas com deficiência, tendo banheiros maiores e barras de aço para cadeirantes se apoiarem. O custo médio, conforme a Cohapar, de cada unidade fica na casa de R$ 83,33 mil. A modalidade financia a casa com parcelamento em até 360 meses (30 anos).

Um levantamento recente aponta que 295 famílias, sem casa própria em São João Triunfo, estão cadastradas no sistema estadual de moradias populares. Destas haverá a seleção, por parte da própria Cohapar, dos 30 mutuários com seus familiares, para receber a nova propriedade. Os novos moradores estarão alocados num espaço plano de 13,7 mil metros quadrados, destinados para a obra.

Levy Castilho explica que a seleção segue critérios Federais, Estaduais e municipais, num trabalho organizado pela Cohapar. Para ter direito, em concorrer a uma destas 30 unidades, a renda familiar somada tem de ser inferior ao valor equivalente a três salários mínimos. Há unidades destinadas para idosos e deficientes, conforme as normas em vigor para estas pessoas e suas famílias.

Desenvolvimento local

A expectativa, conforme a Cohapar, é de promover um novo ciclo de desenvolvimento sustentável no bairro Jardim Vitória, região central, próximo da Câmara de Vereadores e Cartório Eleitoral. Os recursos são do Governo do Estado e integram o Programa Estadual de Habitação (Carteira Própria) da Companhia. O terreno foi comprado e repassado pela prefeitura.

No conjunto, as moradias estão separadas em três grandes áreas com cinco ruas nos arredores. Há ligação com a Rua Padre Estevão Hubert e Rua Francisco Neves Filho, uma das principais vias que ligam a região com a área comercial da parte urbana do município. 15 unidades formam uma espécie de U, com frentes para três ruas e áreas amplas nos fundos para instalação de varais e móveis de repouso.

Um segundo agrupamento, com outras dez moradias, tem o mesmo formato e tem conexão com duas ruas e um trevo paisagístico com redutor de velocidade. E uma terceira região, com mais cinco casas, têm a sua frente para a Rua Padre Estevão Hubert. O condomínio, ainda, mantém espaço de área verde e suas ruas têm acesso facilitado com a Avenida das Araucárias, ligação com a PR151 e região central.

Obra segue para os acabamentos e previsão de entrega é para o mês de novembro.

As obras superaram 30% no início de julho. Após a conclusão das casas, ainda, a infraestrutura prevê pavimentação asfáltica, meio-fio, calçada, galerias de águas pluviais, sinalização horizontal e vertical, e estrutura completa de saneamento e iluminação. Critérios sociais e foco na socialização é parte do projeto que, também, visa ofertar moradias para pessoas que residem em área de risco.

De acordo com o Governo do Paraná há um déficit de aproximadamente 400 mil casas urbanas. Ter a casa própria é mais que um simples conforto, fomenta dignidade às famílias. São João do Triunfo é atendido pelo escritório regional da Cohapar de União da Vitória, numa região de 14 municípios. Neste território regional, Rio Azul tem 34 casas em construção e São Mateus do Sul organiza documentação para novo conjunto.

Sidnei Muran

Sidnei Muran

Jornalista (MTB 7597 DRT/PR), formado pelo Centro Universitário de União da Vitória (Uniuv), pós-graduado em História e Cultura pela Unespar – campus de União da Vitória e Licenciado em História pela Unespar – campus de União da Vitória.
Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Assembleia de Deus inaugura igreja em Antonio Olinto
Grupo organiza associação de proteção animal em São João do Triunfo
Tenente será congratulado por atendimento de vítimas em acidente na BR-476