(Imagem Ilustrativa)

O outono de 2020 começou oficialmente às 00h50 desta sexta-feira, dia 20 de março e se estende até às 18h44 do dia 20 de junho (sábado).

De forma geral, a principal característica da estação é a grande redução da frequência e do volume de chuva na maior parte do país. Porém, para muitas áreas da Região Norte e do Nordeste, outono é sinônimo de aumento da chuva.

Na costa norte do Nordeste, entre o Rio Grande do Norte e o Maranhão, outono é o pico da estação chuvosa. Na costa leste do Nordeste já podem ocorrer os Distúrbios Ondulatórios de Leste (DOL) que trazem chuva forte e volumosa para a faixa leste, especialmente entre o Rio Grande do Norte e a região de Salvador.

Na Região Norte, o outono ainda é época de muita chuva no Amapá, no norte do Pará e do Amazonas. Ainda chove no começo da estação no Tocantins, mas o tempo seca em seguida. A chuva aumenta em Roraima.
No Sudeste e no Centro-Oeste e também em estados como Rondônia e Acre, outono significa chuva parando, ar secando e a chegada das primeiras massas de ar bastante frios.

El Niño, La Niña

O outono de 2020 deve transcorrer com neutralidade no oceano Pacífico. Isto significa que efetivamente não temos o desenvolvimento de fenômenos oceânicos como El Niño ou La Niña. Porém, há uma tendência de resfriamento no Pacífico. Assim, o outono de 2020 deve transcorrer em neutralidade, mas com viés frio.

Chuva do outono de 2020

Diante da seca no Sul e de um verão com tanta chuva no Sudeste e Nordeste, o que esperar da chuva do outono de 2020?

O ponto mais importante a ser destacado no outono é a recuperação de chuvas da Região Sul, que vive um grande problema de estiagem neste verão.

Já a partir de abril, há indicação de início de recuperação, com chuvas mais consistentes em comparação aos últimos meses. Em maio, a previsão é de que os totais de chuva superem em boas quantias a média histórica de precipitação.

Para a Região Sudeste, como é normal, a expectativa é de que as chuvas diminuam e a atmosfera fique mais seca, mais estável. Apesar disso, abril e maio ainda são de chuvas acima da média em partes importantes da Região Sudeste. Nesses dois meses, a chuva ainda deve ficar acima da média por exemplo na faixa centro-leste do estado de São Paulo, que abrange a capital, e no estado do Rio de Janeiro.

Na Região Nordeste, ainda podemos esperar por uma forte influência da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), em toda a costa norte da Região. Mas, em todas as outras áreas, a tendência agora é de diminuição das chuvas, tempo bem seco, com totais abaixo da média.

Para a Região Centro-Oeste, a expectativa é de chuva acima da média em todo o MS neste outono. Nos outros dois estados e no DF, a previsão é de chuva entre a média e ligeiramente abaixo, a chuva diminui consideravelmente em relação aos meses anteriores.

Na Região Norte, a chuva ainda fica bastante intensas nas áreas ao norte da região, como a costa norte do PA, AP e RR. Nessas áreas inclusive, a previsão é de chuva acima da média.

Para as outras áreas da Região Norte, a expectativa é que a chuva fique entre a média e abaixo da média.

Fonte: Climatempo

Redação

Redação

Redação do jornal Gazeta Informativa
Redação

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
São Mateus do Sul e Canoinhas são premiados em festival de dança
Matriz São Mateus recepciona Imagem de Aparecida vinda para a Diocese
1ª Promoção Assinatura Premiada – Regulamento