Geral

Padre Silvano Surmacz celebra 25 anos de ordenação

Dia 08 de dezembro de 2015, durante a Missa das 19h30min, na Igreja Matriz São Mateus, Padre Silvano Surmacz celebrou seu Jubileu de Prata, ou seja, 25 anos de sacerdócio. Dois Bispos, Dom Agenor Girardi e Dom Walter Michael Ebejer, mais 45 padres, sendo quatro do rito ucraniano católico, alguns diáconos permanentes e muitos amigos se fizeram presentes.

Terça-feira, 08 de dezembro de 2015, com o sol quase se pondo no horário de verão, uma procissão de religiosos com roupas brancas e amarelas se formava em frente à Igreja Matriz São Mateus, na cidade de São Mateus do Sul.

O clima de festa e de alegria era evidente no rosto e nas conversas entre os presentes no pátio da igreja, que aos poucos ia ficando tomado de veículos. Dentro da igreja um silêncio tomava conta, sem porém excluir a feição alegre dos fiéis ali presentes.

Vinte e cinco anos passados desde o dia 08 de dezembro de 1990, padre Silvano Surmacz relembra e celebra seu sim dado à uma vida consagrada à Deus, quando respondeu o chamado de Deus à vida sacerdotal na paróquia Sagrado Coração de Jesus, na cidade de Rio Azul – PR, onde nasceu.

O jubilando, primeiro sacerdote ordenado do Seminário Diocesano Rainha das Missões, de União da Vitória, pelo bispo fundador da diocese e criador do Seminário, hoje bispo emérito, Dom Walter Michael Ebejer, ainda de roupa social, no pátio da igreja, com alegria ia acolhendo familiares, amigos leigos e religiosos que chegavam.

Ainda que, sendo dia de semana, ao clima da simplicidade cativa foi inteirada a importância daquele momento para o padre Silvano, seu amigos e familiares. A procissão majestosa composta de seminaristas, padres do rito latino e do rito ucraniano, o bispo emérito e o bispo diocesano de União da Vitória, Dom Agenor Girardi, tomava conta de ponta a ponta o corredor da igreja.

Padre Silvano, que revestido de casula branca com traços dourados e seguia um pouco à frente dos dois bispos, era esperado e procurado pelos olhos do povo que, dos bancos acompanhavam a passagem da procissão. O aroma da fumaça do incenso que impregnava a igreja, conduzia todos ao clima solene e festivo daquela celebração eucarística.

A Solenidade da Imaculada Conceição de Nossa Senhora, celebrada neste dia 08 de dezembro, marca e acompanha a memória do jubilando como um dia todo especial, desde que escolheu como data para lembrar sua entrega à Deus.

Uma das marcas, virtudes existentes no padre Silvano já conhecida pelos que lhe são próximos foi destacada na palavras do seu amigo e irmão no sacerdócio, padre José Levi Godoy. “Quem conhece o padre Silvano sabe que ele é uma pessoa que gosta de festa, de alegria, valoriza muito estar próximo das pessoas e cultivar amizades. Basta olharmos a presença de tantos sacerdotes de diversos lugares que preenchem este presbitério”, relatava o padre de modo sorridente.

Descrevendo fatos curiosos e cômicos da vida do padre Silvano, que tirava gargalhadas da assembleia, padre Levi também destacava os vinte e cinco anos de vida sacerdotal do jubilando, dedicados a levar a Mensagem de Deus para as pessoas.

Esta lembrança fazia o povo presente pensar no valor do sacerdócio, assim como enchia de orgulho e alegria os irmãos e o pai do padre Silvano, senhor Theodoro Surmacz, que, sentado no terceiro banco do lado direito do presbitério, acompanhava com atenção as palavras dirigidas ao seu filho.

A alegria e o clima de amizade continuou no salão paroquial no momento do jantar. Em conversa informal, em uma das mesas, o senhor prefeito da cidade, Clovis Genésio Ledur, também relatava o testemunho de amizade que o padre Silvano dava em alguns momentos. “Às vezes quando nos encontrávamos, o padre Silvano sempre gostava de dizer que estava reunido com seus colegas padres. Ali eu via o quanto ele valorizava estar junto com amigos e seus colegas sacerdotes”, confirmava o prefeito.

Assim, a celebração jubilar dos seus vinte e cinco anos de sacerdócio deixou transparecer esse testemunho de alegria e amizade que também evangeliza, como pode também expressar a frase colocada no cartão de lembrança do seu Jubileu: “Tudo aquilo, portanto, que quereis que os homens vos façam, fazei-o vós a eles…”, tirada do Evangelho de Mateus 7,12.

Na escadaria da igreja, a fotografia do Jubilando, padre Silvano Surmacz, com os colegas padres, diáconos e bispos presentes, registrava assim, a importância e a beleza da fraternidade no Presbitério e com o povo.

*A Diocese de União da Vitória se alegre e rende Graças à Deus por seu ministério presbiteral nesta Igreja Particular. Felicidades padre Silvano Surmacz, e que Deus vos abençoe sempre! A população são-mateuense deseja muita felicidade e saúde.

Sobre Padre Silvano Surmacz


Nascido em 19 de abril de 1966, em Rio Azul, onde estudou até o 2º grau, entrou para o Seminário Diocesano Nossa senhora Rainha das Missões de União da Vitória em fevereiro de 1984, como primeiro seminarista do recém inaugurado seminário. Cursou ali filosofia e teologia, e no dia 08 de dezembro de 1990 foi ordenado presbítero (padre) pelo Bispo Dom Walter. Com ele também ordenou-se padre Luiz Kendzierski, da Congregação Missionária dos Scalabrinianos.

Logo em seguida assumiu a Paróquia de Porto Vitória (PR), depois em fevereiro de 1998, Antonio Olinto. De 2000 a 2002 fez mestrado em filosofia em Roma, retornando a Antonio Olinto. Dia 31 de dezembro de 2006 assumiu a Paróquia São Mateus, em São Mateus do Sul.

“Minha vocação nasceu quando tinha uns oito anos de idade. De família católica queria ser um padre diferente, não tão sério ou carrancudo, mais amigo das pessoas, mais alegre. Logo em seguida quis ingressar no seminário mas não fui aceito devido a pouca idade. Quando fui aceito fiquei muito feliz. O dia da minha ordenação foi especial. Um sábado ensolarado e muito abençoado. Eu fui o primeiro padre formado no Seminário Diocesano de União da Vitória. Enfrentei dificuldades, tristezas, falhas, pois a gente é um ser humano como todos. Mas sou muito feliz, especialmente porque trabalho numa paróquia de gente feliz. Tive que limitar os convites, pois o espaço para a festa era limitado. Na celebração dos 25 anos, queria ter todos os amigos, colaboradores e conhecidos, mas sei que eles entenderam. A amizade verdadeira compreende tudo. Minhas orações e bênçãos a todos. Muito obrigado pelo carinho e amizade. Agradeço muito a Deus e que Ele olhe por cada um de nós!”, Pe. Silvano.

Texto: Thaís Siqueira e Marcelo S. de Lara
Fotos: New Color

Redação

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Vacina contra febre aftosa é prorrogada para 10 de dezembro
Fiéis são-mateuenses festejam Nossa Senhora da Assunção, a padroeira do município
Defesa Civil emite alerta para possível aumento do nível dos rios Iguaçu, Canoas e Potinga