(Foto: Acervo Pessoal)

Queria que estivesse de dia para que todos que chegassem a noite também pudessem perceber o ipê amarelo que estava logo no portão de entrada da capela. Ele tinha a mesma cor do seu tênis. O colorido sempre será uma forma de representar você né? O azul intenso do seu cabelo era a prova disso.

A última semana foi uma loucura, tanto para quem te conhecia ou para àqueles que começaram a entender um pouco mais sobre você nas mensagens de despedida feitas pelos seus amigos mais próximos. Emanuela Tracz nos deixou aos 20 anos de idade, mas ensinando à muitos sobre cuidado e atenção com quem está do nosso lado.

É complexo escrever sobre um momento tão doloroso para quem ainda não aceita a forma que você partiu, mas é ainda mais difícil perceber que essa realidade acontece com tanta gente a todo momento. Ninguém a amava menos ou queria o seu mal, mas é doloroso lidar com o sentimento do “e se…”

Emanuela estudava no curso de comunicação social, um ano à frente da minha turma. Eu não trocava mensagens de textos com ela, tão menos era íntima para que contasse de suas peculiaridades. Mas ela gostava da forma que eu me vestia e me perguntou mais de uma vez onde que eu comprava minhas roupas tão diferentes. Lembro que uma vez Emanuela tinha recém retocado o seu cabelo azul, e o cheirinho dos produtos – que me fez lembrar aqueles adesivos com cheiro de amora – também intensificava que atrás da mulher forte, habitava alguém sensível, que amava gatos e produtos de beleza. Lembra daquele iluminador que você me ensinou a fazer com maquiagens quebradas? Ele ainda vai ter muita utilidade para mim.

Foi difícil ver os vidros da xícara quebrados pelo chão e a forma que a sua mãe acariciava o seu rosto quando tentava adormecer sentada ao seu lado. Emanuela partiu para ensinar que mesmo com um sorriso aberto no rosto e uma alma toda colorida, havia momentos que apenas ela sentia e passava. E a todos que ficaram e conheceram o arco-íris que Emanuela era, fica o sentimento de união, cumplicidade e reconhecimento por tudo que ela ensinou. Emanuela, o céu azul vai fazer muita gente lembrar de você!

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Aproveita!
O espaço e a cultura cibernética
Educação sexual e saúde pública