Cabe ao cidadão respeitar o exercício das funções da Vigilância Sanitária, instituição voltada ao cuidado e proteção da saúde da população são-mateuense. (Foto: Éber Deina /Gazeta Informativa)

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) divulgou um novo boletim epidemiológico relativo à dengue, na última quarta-feira (9). O Paraná registrou 373 casos confirmados da doença, sendo 183 a mais do que no boletim anterior. As cidades com maior número de casos são Paranaguá (63), Rolândia (25), Foz do Iguaçu (22), Cascavel (7), Cambé (6) e Mandaguari (5).

Este é o terceiro informe do período epidemiológico 2020/2021, iniciado no último dia 26 de julho. Até o presente momento, não foi registrada nenhuma morte causada pela doença em nosso estado. Apesar disso, o cuidado e a prevenção são fortes aliados nesta caminhada, tendo em vista que a proliferação da dengue ocorre em ambientes domésticos ou muito próxima à residência dos indivíduos.

Notificações

De acordo com a Sesa, 1.101 casos estão em investigação. 194 municípios apresentaram notificações da doença e 80 tem casos confirmados. Nosso estado já totaliza 2.097 notificações para a dengue. Ainda conforme a Secretaria, foram registradas este ano, 10 notificações para Chikungunya e 2 para Zika.

Orientações

De acordo com informações contidas no relatório elaborado pela Sesa, 90% dos criadouros estão nos domicílios, em recipientes e locais marcados pelo acúmulo de água. “Estamos vivendo uma situação de risco duplo, além da pandemia da Covid-19, o estado segue alerta para os casos de dengue. São duas doenças graves que podem levar à internação e óbito. A medida mais efetiva no caso da dengue, é a eliminação dos criadouros do mosquito, através da atuação da Vigilância Sanitária ou da população”, afirmou o secretário da Saúde, Beto Preto.

Plano de ação de enfrentamento

A Sesa apresentou no último dia 4, o plano de ação de combate à dengue para 2020/2021, contendo ações dos 5 componentes do Programa Nacional de Controle da Dengue, que são a vigilância epidemiológica, o controle vetorial, a assistência, a gestão e a comunicação. O documento foi redigido pela Diretoria de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria, contendo atividades e mecanismos que devem ser implementados diante do quadro de monitoramento da dengue no estado.

(Banners: Secretaria da Saúde do Paraná)

O secretário da Saúde do Paraná comentou sobre o momento vivido. “A avaliação dos primeiros dias deste novo período, é de que teremos um quadro semelhante ao anterior, onde tivemos a maior epidemia da história do Paraná. São 222 mil casos confirmados e 177 mortes provocadas, seguimos preocupados sobre o assunto”, declarou ele.

Vigilância Sanitária

No que se refere à atuação municipal, a Vigilância Sanitária de São Mateus do Sul executa um brilhante trabalho de auxílio no combate à proliferação do mosquito da dengue. As visitas realizadas ao longo de todos os bairros do quadro urbano constituem-se como uma importante ferramenta na identificação de focos de ovos ou larvas do mosquito.

Cabe a todo cidadão respeitar a atuação dos profissionais da Vigilância, tendo em vista o compromisso relacionado a uma preocupação com a saúde pública em nossa cidade. A preocupação com a pandemia da Covid-19 é bastante sólida e real, mas outras questões sanitárias não podem ser esquecidas pela população. Faça a sua parte e mantenha o quintal limpo, recipientes tampados e evite o acúmulo de água em locais expostos. Combater a dengue é exercer a cidadania!

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Grupo Jovens Unidos em Cristo (JUC) completa 10 anos
São Mateus do Sul está entre as 15 cidades paranaenses com melhor gestão fiscal
Grupo Karolinka faz prestação de contas da III Mostra do Folclore Polonês