Histórias de Terra e Céu

Pare o que estiver fazendo no dia 27 e olhe para o céu!

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

O evento astronômico mais aguardado do ano finalmente chegou! Já falei dele há dois meses e voltei a anunciá-lo na primeira coluna deste mês. A “Super Lua” se tornará “Lua de Sangue”… E você não pode perder!

Que a lua cheia é a ocasião em que nosso satélite apresenta o maior brilho, todos sabem. Mas existem momentos em que ela parece se tornar ainda maior no céu. É quando a lua cheia coincide com o perigeu, que é o ponto da órbita onde a lua está mais próxima da Terra. Nestes casos temos a chamada “Super Lua”. E isso ocorrerá no dia 27 de setembro. Mas não será somente isso…

Outro fenômeno que sempre chama a atenção são os eclipses lunares. Para entendê-los precisamos lembrar que nosso satélite não tem luz própria. O brilho que vemos na lua é simplesmente o reflexo da luz do Sol. Mas em alguns momentos, quando a lua está cheia, a Terra acaba se colocando entre o Sol e a Lua, de forma que a luz do Sol que, há poucos minutos iluminava nosso satélite, vá sumindo lentamente até que a lua pare de brilhar. Felizmente em pouco tempo a Terra, seguindo seu caminho, deixa o Sol restaurar a beleza do luar… E isso também ocorrerá no dia 27 de setembro!

Às 21h12 começará a fase penumbral do eclipse, na qual o brilho da lua diminuirá, mas ainda não chegará a haver a ocultação. Às 22h07 começará a ocultação, que atingirá seu máximo quando a lua estiver quase no topo do céu, perto da meia noite. Neste momento a “Super Lua” se tornará a “Lua de sangue”, que é o nome dado ao momento em que nosso satélite fica avermelhado devido aos raios solares que passam pela atmosfera da Terra antes de atingirem a lua.

Foto: Gerson Souza/Arquivo Pessoal

Foto: Gerson Souza/Arquivo Pessoal

A segunda foto que ilustra esta coluna é de uma palestra que fiz no último dia 18 para os escoteiros do Grupo Paul Harris. Ali falamos sobre estrelas, Sistema Solar, fases da lua e também sobre este eclipse. Atualmente conseguimos entender perfeitamente os eclipses, mas há pouco mais de um século, aqui mesmo no Brasil, as pessoas pensavam que os eclipses ocorriam porque dragões invisíveis tentavam comer o Sol ou a Lua… Há registros no Norte do país de cidades inteiras que saíam às ruas durante os eclipses, batendo panelas e jogando pedras para o céu, tentando expulsar o tal dragão. E como o dragão realmente deixava o Sol ou a Lua em paz após algum tempo, as pessoas acreditavam que havia sido graças aos seus gritos e ameaças… E repetiam o ritual no próximo eclipse!

Vamos ficar na torcida para que o céu colabore e a “Super Lua de Sangue” possa ser vista aqui em São Mateus. Se o céu nublar, a dica é acompanhar a transmissão ao vivo pela facebook do site “Climatologia Geográfica”. Eles ainda sortearão um telescópio refrator entre os internautas que estiverem acompanhando o evento. E se a madrugada avançar e a lua não voltar ao normal, bom, aí será hora de pegar as panelas e sair para as ruas para expulsar o dragão!

Até a próxima semana e céus limpos para todos nós!

Gerson Cesar Souza
Últimos posts por Gerson Cesar Souza (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Os outubros de Angewitz
Ludovico Bieniek, o imigrante pintor
Ucranianos, Polacos e os Marimbondos de Fogo