Foto: Acervo/Gazeta Informativa

A Petrobras informou nesta sexta-feira (26) que vai realizar uma nova rodada de venda de ativos. Em reunião, o conselho de administração da companhia decidiu reduzir a fatia da estatal na BR Distribuidora – atualmente em 71% – e vender oito refinarias das suas 13 refinarias.

A lista de desinvestimento também inclui a venda da rede de postos da companhia no Uruguai.

De acordo com o blog do João Borges, o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse que pretende arrecadar cerca de US$ 15 bilhões com a venda das refinarias. Juntas, elas têm capacidade de refino de 1,1 milhão de barris por dia.

O processo de venda deve ser concluído em até um ano e meio.

As decisões anunciadas de desinvestimentos integram o Plano de Negócios e Gestão 2020-2024 da empresa. O documento deve ser aprovado e divulgado no quarto trimestre.

Segundo a companhia, os ativos de refino incluídos no programa de desinvestimento são:

  • Refinaria Abreu e Lima;
  • Unidade de Industrialização do Xisto;
  • Refinaria Landulpho Alves (RLAM);
  • Refinaria Gabriel Passos (REGAP);
  • Refinaria Presidente Getúlio Vargas (REPAR);
  • Refinaria Alberto Pasqualini (REFAP);
  • Refinaria Isaac Sabbá (REMAN);
  • Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (LUBNOR).

“Os projetos de desinvestimento das refinarias, além do reposicionamento do portfólio da companhia em ativos de maior rentabilidade, possibilitarão também dar maior competitividade e transparência ao segmento de refino no Brasil”, informou a estatal em comunicado.

Na decisão envolvendo a redução na participação da BR Distribuidora, a estatal informou que estuda realizar uma oferta pública secundária de ações (follow-on). A estatal disse que seguirá “como acionista relevante”.

“As diretrizes estão de acordo com os pilares estratégicos da companhia que têm como objetivo a maximização de valor para o acionista, através do foco em ativos em que a Petrobras é a dona natural visando à melhoria da alocação do capital, aumento do retorno do capital empregado e redução de seu custo de capital”, disse a empresa.

A Petrobras detém quase 100% da capacidade de refino no Brasil. O presidente da companhia tem defendido o aumento da concorrência e a venda de ativos como parte do processo de desinvestimento.

A companhia tem anunciado uma série de medidas para reduzir custos. Em março, por exemplo, informou que planeja reduzir em US$ 8,1 bilhões os seus custos operacionais. Nesta semana, a companhia abriu um programa de demissão voluntária.

Fonte: G1

Redação do jornal Gazeta Informativa

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Pedro Parente deixa o cargo de Presidência da Petrobras
Exposição na Casa da Memória relembra casamentos de são-mateuenses do século XX
Mudança de horário acontecerá apenas em novembro

Deixe seu comentário

*