Toda manhã, os policiais rodoviários são recepcionados com um verdadeiro
banquete preparado pela Dona Maria. (Fotos: Divulgação / PRF)

Por Razões Para Acreditar

Toda manhã, os policiais rodoviários da Unidade Operacional de Ceilândia (DF), costumam ser recepcionados na base com um verdadeiro banquete preparado por Maria do Socorro Alves, 47 anos. Dona Maria é uma funcionária terceirizada e presta serviços gerais na unidade. Caprichosa, ela sempre serve tapioca, cuscuz, bolos e outros quitutes aos policiais.

ANÚNCIO

Há algum tempo, a agente Patrícia Dumont descobriu que Maria não sabia ler e escrever, então decidiu mudar essa realidade. Inicialmente, Patrícia e colegas de corporação ligaram para escolas da região para matriculá-la, mas devido à pandemia, não encontraram vagas. Foi aí que a policial teve a ideia de assumir para si a responsabilidade de alfabetizar Dona Maria.

As aulas eram ministradas após o plantão da policial e nos intervalos para o almoço.

A alfabetização ocorreu de forma rápida e agora Dona Maria sonha em se tornar contadora.

As aulas eram ministradas após o plantão de Patrícia ou nos intervalos para o almoço. De acordo com a assessoria da Polícia Rodoviária Federal, Maria foi alfabetizada em um período surpreendentemente rápido. “Iniciou do básico, mostrando as letras e os seus sons, as formações de sílabas e também de palavras. Sua equipe deu vários livros pedagógicos de presente à auxiliar e, rapidamente, eles perceberam a evolução na aprendizagem”, disse.

Alguns dias atrás, Patrícia deixou um bilhete para a auxiliar de serviços gerais e todos se emocionaram ao ver que a aluna havia lido com muita facilidade. “O ensino não se restringiu à alfabetização: noções básicas de matemática também foram ensinadas a ela, que agora sonha em ser contadora. A policial a encoraja a chegar aonde quiser”, finalizou a PRF.

Fonte: Metrópoles

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Mineira de 18 anos que descobriu asteroide vai fazer curso da NASA e pode se tornar 1ª brasileira no espaço
Policiais militares são-mateuenses recebem carta de agradecimento de vítima de depressão
A família de gansos que faz parte da família de Eunice e Paulo