Reflexão com Padre Marcelo S. de Lara

Por que cultivar a espiritualidade?

(Foto: Divulgação)

O ser humano é composto de corpo e alma, matéria e espírito, ou, princípio de vida, chame como queira. O fato é que não somos apenas corpo material, não somos cadáveres ambulantes. Um elemento que não é matéria o mantém vivo além dos órgãos materiais. Para que o ser humano possa viver bem, esses dois elementos, o espiritual e o material devem estar em harmonia, em bom estado, com saúde digamos.

O cultivo da espiritualidade baseada em princípios e em ensinamentos consistentes traz ao ser humano uma melhor harmonia em sua vida, lhe dá mais equilíbrio. A espiritualidade alimenta a alma com elementos que ajudam a melhor administrar os conflitos internos (conosco mesmo) e externos (nas relações pessoais de trabalho, família, comunidade, sociedade). Ela dá mais firmeza na vida, auxilia o ser humano a se manter em pé nas tribulações, e é o elemento que dá a ele, a oportunidade de se encontrar e se defrontar consigo mesmo.

Uma boa saúde espiritual reflete em uma melhora nos relacionamentos, na parte mental e até mesmo no corpo material maltratado muitas vezes, sendo vítima de tantos desequilíbrios. É vítima, porque há uma busca de satisfação não realizada, de se compensar a falta de uma realização em algum setor de sua vida.

Pesquisas apontam que a própria má alimentação encontra suas respostas na ansiedade vivida pelas pessoas pelas preocupações, angústias e conflitos não resolvidos. É uma substituição, uma “fuga” ou, busca de algo que possa preencher o vazio.

Contudo, essa compensação não é a solução, pois, não se está atacando a causa, e sim se está criando um outro problema nessa “válvula de escape”, no caso exemplar, no corpo. Guloseimas, comidas mais calóricas e gordurosas são as que trazem essa satisfação de prazer “compensando” o que falta talvez no nível afetivo, espiritual, algo que se encontra no campo não material.

No mundo mais pragmático que vivemos, o resultado imediato é o que se deseja, mas a espiritualidade ensina o caminho do silêncio, da contemplação, da calma. Por isso, talvez a dificuldade de alguns a procurarem ou até aceitarem a necessidade da espiritualidade. Os resultados na vida de quem a vive ou não vive, cada um os pode verificar. O importante é não deixar de pensar, de refletir sobre isso, sobre a sua própria vida, suas possíveis necessidades, fugas, compensações.

É evidente que não somos perfeitos na arte de administrar nossos conflitos, por isto que, a espiritualidade é o elemento que traz caminhos, orientações, exemplos e sustento para auxiliar nessa tarefa.

A espiritualidade dá a possibilidade de conhecermos mais a nós mesmos, tendo em vista que o silêncio, a meditação nos faz mergulhar no mais íntimo de nossa alma.

A própria tranquilidade, a pacificação do espírito ajuda a ser humano se encontrar consigo mesmo, com os outros e harmonizar a vida com o Outro Ser Espiritual ao qual se relaciona, independente da fé e religião a qual se professa e vive.

Assim, alimentando corpo e espírito, mais naturalmente a harmonia em sua vida tende a acontecer, não deixando a balança pesar somente para um lado e ainda, com elementos nem sempre saudáveis e realizadores.

Últimos posts por Pe. Marcelo S. de Lara (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Tempo Pascal: A Vida Transformada
Encantar pelo Evangelho, Eis nossa Missão
Reinventar o Humano