Educação e Cultura

Prendas são-mateuenses participam de concurso nacional neste fim de semana

Da esquerda para a direita: Raiane Cruz (que disputará na categoria prenda adulta); Diretora Artística e Cultural da 6ª MGT/PR Geomara Kavilhuka e Rosenara Menezes (que disputará na categoria veteranas). Foto: Thaís Siqueira/Gazeta Informativa

Entre os dias 24 a 26 de novembro de 2017, a Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha (CBTG) realizará a 17ª Edição do Concurso Nacional de Prendas e Peões, na cidade de Foz do Iguaçu – PR e as são-mateuenses Raiane Cruz (que disputará na categoria prenda adulta) e Rosenara Menezes (que disputará na categoria veteranas) representarão nosso município pela primeira vez no mais importante concurso, com representatividade nacional, da cultura tradicionalista gaúcha.

Cada uma das representantes participou de uma longa jornada preparatória até chegar neste honrado momento. Primeiramente escolhidas em seus Centros de Tradições Gaúchas (CTG’s), elas participaram do concurso pela 6ª Região Tradicionalista que contempla, São João o Triunfo, São Mateus do Sul, Irati, Paulo Frontin, Mallet, Rio Azul e Inácio Martins com 28 CTG’s e classificaram-se para a fase estadual no Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG/PR) disputado em 2016, onde Raiane foi eleita como a 2ª Prenda Adulta, posteriormente assumindo o cargo de primeira colocada na aplicação do regulamento e Rosenara como a 2ª Prenda Veterana.

O Concurso Nacional de Prendas e Peões é um evento bienal da CBTG e é de natureza sociocultural e tem por fim:

I – Valorizar a cultura popular brasileira, através do Movimento Tradicionalista Gaúcho;
II – Valorizar os militantes do Movimento Tradicionalista Gaúcho, em particular a sua juventude, através de concurso de Prendas e Peões, que reúnam o melhor nível de conhecimentos teóricos e práticos sobre a cultura gaúcha brasileira, demonstrem maiores habilidades artísticas e campeiras e uma abrangente e realizadora vivência no Movimento Tradicionalista Gaúcho;
III – Distinguir os participantes, eleitos na forma deste Regulamento, com o título de 1ª Prenda e do 1º Peão Tradicionalista da CBTG em todas as categorias;
IV – Valorizar o Movimento Tradicionalista Gaúcho com a participação dos jovens na promoção e no desenvolvimento da cidadania brasileira;
V – Propiciar a formação de lideranças que conduzirão os jovens no cultivo à tradição.
O Concurso é realizado entre os participantes distribuídos nas categorias: mirim – até o ano em que completar 13 anos; juvenil – até o ano em que completar 17 anos; adulto – igual ou acima de 17 anos e veterano – igual ou acima de 30 anos para prendas e igual ou acima de 35 anos para peões.

O Concurso será desenvolvido através de prestação de provas, com os respectivos conteúdos e pontuações seguintes:

I – Prova Escrita sobre a história do Rio Grande do Sul (RS) e do Brasil; Sobre a geografia do RS e do Brasil; Sobre a tradição e folclore do RS e do Brasil; Sobre o folclore, tradição e tradicionalismo; A literatura brasileira e a história da CBTG, além das atualidades e uma redação.
II – Prova Artística: Dança tradicional gaúcha; Dança de salão; Declamação; Interpretação Vocal; Execução Instrumental; Relato de Lenda e Composição de Poesia.
III – Prova Oral: Vivência tradicionalista gaúcha; Projetos executados; Sociabilidade e desenvoltura; Pesquisa histórica e Artesanato Regional ou Atividades Culinárias.

De acordo com Raiane que representará pela primeira vez nosso município em um concurso de forma nacional, “é muito gratificante poder representar minha casa tradicionalista que é o CTG Tropeiros de São Mateus, a 6ª região tradicionalista e o MTG Paraná será uma superação de limites, pois terei de cantar e declamar, o que não estou acostumada, mas estou preparada para encarar a peleia, pois tenho uma boa preparação”.

De acordo com Rosenara, “é uma emoção muito grande porque fazem 4 anos que resido em São Mateus do Sul, vinda do Rio Grande do Sul, onde deixei meu CTG Sentinela do Rio Grande e aqui faço parte do Fronteira do Paraná. É uma alegria muito grande representar a cidade e o estado, pois quando vim para cá fui muito bem recebida. Adoro nossa cultura e poder trazê-la para nossas crianças num tempo em que ela é colocada em planos secundários é de muita importância, a cultura do resgate cultural e histórico”.

A Diretora Artística e Cultural da 6ª MGT/PR, Geomara Kavilhuka pessoa singular na trajetória das duas prendas e na movimentação do resgate tradicionalista, afirma, “como educadora vejo as crianças e adolescentes sem rumo, não possuem uma direção, eu entrei em um CTG com 16 anos, incentivada por uma amiga e hoje são 23 anos de tradição gaúcha, uma vida dedicada à rodeios, congressos, convenções. Muitas vezes vejo que a sociedade não nos vê com bons olhos, mas povo sem tradição morre a cada geração e jovem sem tradição vive de ilusão”, conclui. A equipe da Gazeta Informativa deseja uma boa sorte às prendas são-mateuenses.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Baterista são-mateuense é destaque nacional
Familiares dormem em fila para garantir vaga no Colégio São Mateus
Feira do Livro acontece do dia 4 a 7 de junho no Salão Nobre do CEDUC