Jornal de São Mateus do Sul (PR) e região

Prevenção ao suicídio conta agora com ligação gratuita

Discando 188 é possível conseguir apoio para superar momentos de crise. (Foto: Divulgação)

O Brasil possui um serviço gratuito de apoio a pessoas que desejam e precisam conversar sobre suicídio: o Centro de Valorização da Vida (CVV). A organização faz parte de uma associação internacional chamada Befrienders Worldwide e participou da elaboração da Política Nacional de Prevenção do Suicídio, do Ministério da Saúde. O CVV garante total sigilo e anonimato para as pessoas que procuram o atendimento, que pode ocorrer por telefone, chat na internet, e-mail e presencialmente, nos postos de atendimento. Em todas essas situações, o serviço é totalmente gratuito.

A partir deste mês, as ligações para o 188 passaram a ser gratuitas em todos os estados do País e no Distrito Federal. Pelo número, os cidadãos recebem apoio em momentos de crise e ajuda para prevenção ao suicídio. A gratuidade das ligações foi garantida por convênio com o Ministério da Saúde. Foram repassados recursos de R$ 500 mil para o CVV.

A expansão da chamada sem cobrança vem acontecendo desde o ano passado. Os últimos estados que passaram a ter acesso ao CVV pelo número gratuito 188 foram Bahia, Maranhão, Pará e Paraná. Em 2017, o Centro de Valorização da Vida recebeu dois milhões de ligações de cidadãos em busca de ajuda, o dobro do registrado em 2016. Os atendimentos do CVV podem ser feitos também por e-mail, chat e voip 24 horas todos os dias e nos 87 postos de atendimento.

Essa mudança não deve alterar o trabalho local, no Vale do Iguaçu, do grupo União Pró-Vida, organização formada por voluntários, inspirada no modelo de trabalho do CVV. “Não muda em nada, porque as pessoas que precisam de atendimento presencial, continuarão tendo”, explica o voluntário Jonas, um dos fomentadores da ideia no Vale do Iguaçu. O Pró-Vida, além de atender as chamadas via telefone, também vai às escolas e outros endereços, orientar sobre o suicídio – e as opções para não enfrentá-lo. O trabalho tem sua base montada no piso da Rodoviária de Porto União e funciona com plantões. Por conta da tecnologia, o telefone fixo é pouco usado. Já via WattsApp, a demanda é bem maior. “Vejo essa notícia da gratuidade do serviço como promissora”, afirma Jonas.

Números

Atualmente, a média nacional de suicídio no Brasil, em todas as idades, é de 5,5 por 100 mil habitantes. São, em média, 11 mil pessoas que tiram a vida por ano no Brasil. Os idosos são os que mais preocupam, pois, as taxas sobem para 8,9 mortes por 100 mil, nos últimos seis anos. Envenenamento e intoxicação são os meios mais utilizados e os homens são os que mais morrem por suicídio e 60% são solteiros. A região Sul concentra 23% dos suicídios e o Sudeste 38%. Os dados são do Ministério da Saúde.

Para atingir meta da Organização Mundial da Saúde (OMS), de reduzir em 10% os óbitos por suicídio até 2020, o Ministério da Saúde lançou no ano passado uma agenda estratégica que inclui ampliação da assistência e ferramentas de comunicação.

Como funciona o 188 

Ligação gratuita 

Os voluntários do CVV atendem pelos números 188 ou 141 (nos estados Bahia, Maranhão, Pará e Paraná). Assim como em todas as outras formas de atendimento, é garantido o sigilo sobre tudo o que for dito e o anonimato.

Pela internet 

Há duas formas de atendimento pela internet. A primeira é o chat, que pode ser no link cvvweb.org.br. O chat funciona todos os dias, nos seguintes horários: aos domingos, de 17h à 1h; segundas-feiras, de 9h à 0h; terças, quartas e quintas-feiras, de 9h à 1h; sextas-feiras, de 15h à 1h; e aos sábados, de 16h às 23h. A outra opção é enviar uma mensagem ao CVV, que será respondida por e-mail pelos voluntários.

 Atendimento presencial 

O CVV tem postos de atendimento que funcionam em horário comercial. No site do centro, é possível buscar os endereços e telefones dos locais por estado e cidade.

União Pró-Vida

Em algum momento, alguém vai dizer “alô”. E quem liga, nem precisa falar nada, apenas ouvir ou ser ouvido. Quem é voluntário, é voluntário: não recebe nada pelo serviço. São pessoas que, pensando na saúde mental de um desconhecido, doam um gesto simples, esquecido na correria: ouvir. “A vida é muito rápida e, às vezes, o daqui a pouco pode ser tarde demais”, lembra Jonas. O União Pró-Vida ressurgiu, em um outro formato, no segundo semestre de 2017, encerrando uma lacuna desde a interrupção dos serviços prestados pelo CVV no Vale do Iguaçu. Embora afastado da marca mais conhecida no País, os grupos mantêm a mesma filosofia. Para encontrar o grupo – e pedir ajuda, quando for necessário. Os telefones do grupo do Vale do Iguaçu são: 42 3523 7217 e o WhatsApp 42 9 9138 1467. É possível acessar também a página na rede social, que é  www.facebook.com/associacaouniaoprovida

Novos voluntários

O União Pró-vida está fazendo inscrições para pessoas que querem ser voluntários na entidade. Haverá um curso de capacitação em agosto ou julho. Para se inscrever, é só enviar uma mensagem no WhatsApp 42 9 9138 1467.

Fonte: Vvale

Compartilhe esta reportagem...Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Print this page


Comentários: