Administração e Negócios

Produto “estrela” ou “abacaxi”, qual deles predomina em sua empresa?

Em um primeiro momento pode até parecer bobagem dar nomes estranhos aos produtos oferecidos por uma empresa, mas para que isso faça sentido é preciso ter algum fundamento.

Os termos que citei no título, “estrela” e “abacaxi”, além de “em questionamento” e “vaca leiteira”, são nomes que classificam os produtos em portfólios dentro de uma matriz. Ela é chamada de Matriz BCG.

Considerada uma importante ferramenta de gestão de marketing, a Matriz BCG foi criada nos anos 70 por Bruce Henderson para uma empresa americana de consultoria chamada Boston Consulting Group, cujo objetivo era analisar e classificar os produtos de acordo com seu ciclo de vida.

Basicamente a Matriz BCG é dividida em duas partes, crescimento de mercado e participação relativa de mercado, que é a participação da empresa em relação ao seu maior concorrente. Assim, previamente pode-se concluir que quanto mais rápido for o crescimento do mercado de um produto, e, quanto maior for sua participação de mercado, maior será a vantagem competitiva por produto em relação aos concorrentes.

Para que a ferramenta de análise esteja completa, é preciso posicionar os produtos em quadrantes dentro da matriz, isso com base em suas principais características. Os quadrantes são os seguintes:

EM QUESTIONAMENTO: Neste quadrante, também conhecido como “ponto de interrogação”, estão posicionados os produtos que pertencem a um mercado com altas taxas de crescimento. Sua capacidade de gerar caixa é bastante reduzida uma vez que demanda altos investimentos e apresenta baixo retorno, e ainda tem baixa participação de mercado. Se não for tratado criteriosamente, poderá ternar-se um “abacaxi”. Entretanto, por estar em um mercado com alto crescimento, pode-se tornar um produto “estrela”.

ESTRELA: Os produtos deste quadrante ainda exigem grandes investimentos, pois possuem grande participação em um mercado altamente crescente. São referência no mercado, no entanto, estratégias devem ser definidas para que essa participação seja mantida, caso contrário poderá tornar-se uma “vaca leiteira”.

VACA LEITEIRA: Aqui estão os produtos com grande capacidade de gerar caixa e lucros, uma vez que possuem alta participação de mercado. Como estão em um mercado com baixo crescimento, não são necessários grandes investimentos. Várias empresas possuem esses produtos como sua base, e incentivam muito suas vendas. É comum que produtos “estrelas” se transformem facilmente em “vaca leiteira”.

ABACAXI: Nesta classe estão posicionados os produtos com baixa participação em um mercado que já não cresce mais. Embora não demandem grandes investimentos, eles devem ser evitados ao máximo pela empresa, pois exigem altos custos de reposição e não geram retorno. Quando um produto entra nesse quadrante, é preciso analisar quanto a sua viabilidade de recuperação, ou até mesmo sua retida do portfólio de produtos.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
O ciclo de vida dos produtos
Alianças estratégicas
SAD: sistema de apoio à decisão