(Imagens reproduzidas a partir da transmissão feita pelo Facebook da Câmara de Vereadores)

A 38ª sessão ordinária da Câmara de São Mateus do Sul abordou assuntos relativos à gestão municipal, emendas impositivas, troca de gestão municipal, Covid-19 e a postura do governo estadual frente à composição dos servidores do magistério. Também, a leitura da emissão do parecer prévio do Tribunal de Contas Estadual (TCE) da prestação de contas da prefeitura de 2019.

Dois requerimentos foram apresentados. O de nº 125/2020 direcionado para a secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística sobre instalação de postes próximos a PR 281 – estrada de Fluviópolis a Rio Claro do Sul. Solicitação dos vereadores Julio Balkowski, Omar Picheth e Fernanda Sardanha. A informação é de que a colocação estaria muito próxima uns dos outros, colocando usuários da estrada em risco.

O requerimento de 126/2020 solicita explicações dos motivos de obras de pavimentação asfálticas nas Ruas João Gabriel Martins e Guilherme Kantor estarem paralisadas, por pedido de moradores da região, via vereador Miguel Magnani Junior. Seguido de solicitação verbal da parlamentar Marta Centa por revisão do Processo Seletivo Simplificado (PSS) do Paraná e extensão de atuais contratos.

PSS e o impasse estadual

Em seguida, Marta Centa foi na tribuna para reafirmar o pedido para que a presidência oficie o Governo do Estado para interceder junto aos professores por isenção de taxa dos candidatos em regime de PSS. Ela justificou que ‘todos estão presenciando’ representantes do magistério ‘acampados no Palácio Iguaçu e Assembleia Legislativa’ e pediu providências como manutenção de atuais contratos.

Fernanda Sardanha sugeriu o encaminhamento, também, de uma moção assinada por todos os vereadores, num documento em defesa da categoria, pela manutenção do PSS e isenção da taxa de inscrição. Isso para ‘demonstrar força política em luta e defesa dos profissionais da educação’. Marta apontou que ‘a vaidade’ pode derrubar uma pessoa, usando referência para isso na letra da música a Banca do Distinto, de Billy Blanco.

Fernanda Sardanha reclamou do não atendimento frente às emendas impositivas.

Ela sugeriu um ato de repúdio, a princípio, até citando de que é necessária uma manifestação sobre o caso reclamando da cobrança de taxa, por avaliar que isso seria prerrogativa de concurso público. Ao passo que, segundo a parlamentar, 9.524 agentes educacionais e 20.168 professores ficarão desempregados. Isso por conta da prova em época de pandemia, sobretudo para grupos de risco.

Marta disse que ‘sente falta de Valdir Rossoni’ pelo menos para serem ouvidos e respeitados. “Hoje sequer alguém nos recebe na Assembleia Legislativa ou Casa Civil”. Citando a greve de fome e a necessidade de recontratação, no seu ponto de vista, que seria o caminho. Ainda, a vereadora leu uma carta de indignação e que tece crítica aos deputados da base, secretário de Educação, Renato Feder e governador Ratinho Júnior.

Marta Centa criticou governo por conta do PSS e pagamento de taxa para a prova.

Covid-19 e sem votar

Poucas vezes um candidato a vereador não vota em si próprio, ou deixa de cumprir sua obrigação. Contudo, por estar infectado com o Coronavírus, Picheth sequer pôde votar no domingo (15/11). Nem em si e nem em Fernanda Sardanha. O vereador estendeu agradecimentos a todos e pontou o sofrimento, para além da contaminação, isolado de tudo. “O isolamento machuca, tanto quanto a Covid-19”, disse.

Geraldo Altevir de Paula e Silva (Geraldinho) relatou que ao ficar sabendo da contaminação de Picheth se agarrou às orações. “Quando eu terminei eu tinha certeza de tanto que eu pedi, que você sairia vitorioso”, disse em relações aos pedidos espirituais pelo colega. Num cenário bastante preocupante, os casos se ampliarem, atribuído à falta de cuidados e descrença por parte da própria população.

Geraldinho relatou bastidores e confiança de Picheth em eleição de Fernanda Sardanha.

Geraldinho revelou que, nas confidências dos bastidores da Câmara mesmo sendo ele da bancada do prefeito Luiz Adyr Gonçalves Pereira, ouviu de Picheth a citação “Geraldo, vamos ganhar a eleição”. O parlamentar destacou ainda que o colega acreditou desde o primeiro momento na construção da candidatura e eminente possibilidade de fazer de Fernanda Sardanha a prefeita.

Para Picheth, o resultado das urnas mostrou que o povo desejou mudança e assim fez pelo voto. Contudo, após o pleito, para ele, é necessário união em prol do desenvolvimento para o bem das pessoas. Até, neste quesito, o vereador mencionou que em breve haverá uma grande batalha por conta da eminência de paralisação da Unidade de Industrialização do Xisto (SIX).

Picheth descreveu isolamento social por estar com Covid-19 e o sofrimento disso.

Emendas e troca de governo

Destino de recursos por indicação dos vereadores, as chamadas emendas impositivas, foi assunto de cobrança de Fernanda Sardanha. A ponte da raia, no trajeto entre a Vila Americana e o Centro, indicada por ela em 2018 e que, segundo a parlamentar junto da reforma da capela municipal, não teriam sido cumpridas pela prefeitura. Ela lamentou o não atendimento a estas solicitações de sua autoria.

O líder de governo Jackson Machado disse que a ponte da raia já estava sendo feita. “Já está em execução”, afirmou. Ele citou que o município está ‘virado em canteiro de obras’ e que Luiz Adyr segue até 31 de dezembro de 2020 trabalhando por São Mateus do Sul. Se referindo a uma reunião no dia seguinte às eleições, o vereador reportou que o prefeito pediu para que todos facilitem a transição de governo.

Para o parlamentar, a prefeita eleita, no seu papel de vereadora, estaria exercendo a função de cobrar e ele, como líder, pôde responder ao questionamento. Jackson Machado, também, lamentou o aumento dos casos de Covid-19, mas trouxe uma outra informação importante. Sobre os avanços de carreira que a prefeitura estará fazendo nos próximos dias para os servidores do município.

Jackson afirmou que transição de governo será respeitosa e disse que funcionários terão avanços concedidos pela prefeitura.

Ainda, em relação às emendas impositivas, indicadas em 2020 para executar em 2021, Marta Centa frisou que vai solicitar parquinhos infantis, modelo kid play – com mais segurança e piso modular para o Ginásio de Esportes do Colégio do Campo Eugênio de Almeida. Com outros vereadores, exemplo disso o colega Edival Guimarães, para academias ao ar livre, trocadas de 2020 por conta da Covid-19.

Citado por Marta, Julio Balkowski afirmou que estaria pensando para onde vai destinar. “O vereador tem o poder de indicar”, comemorou. Ele relatou que em 2018 apontou o investimento para reabertura de estrada na região de Fluviópolis. Isso trouxe grande benefício na via em que foi realizado o serviço. “Nesse ponto acredito que o executivo cumpriu com o papel de indicação do legislativo”, disse.

Sobre a transição de governo, o presidente da Câmara, Nereu Dal Lago, relatou o interesse em harmonia por parte do prefeito. “Uma conversa ruim, nos dois de cabeça inchada. Conversa não muito boa, nós dois derrotados. Tanto ele como eu”, relatou. Mas abrindo as portas para a futura prefeita e descrevendo que o legislativo cumpriu o seu papel diante da atual gestão e sociedade são-mateuense.

Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Justiça Eleitoral presta agradecimento aos voluntários e colaboradores das eleições municipais
Primeira sessão da Câmara de Vereadores conta com levantamento das ações desenvolvidas em 2018 pelo executivo
Câmara esquenta o debate político em ano eleitoral