A equipe responsável pelo Projeto Ecos do Campo está atuando ativamente na proteção de nossas nascentes d’água, que se configuram como a origem deste importante recurso. (Fotos: Divulgação Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul)

A execução de projetos por parte dos envolvidos junto à Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul, se tornou algo bastante produtivo nos últimos anos. Tendo em vista a realidade dos estudantes que frequentam o local, o desenvolvimento de ações voltadas às práticas agro-industriais, assim como ao incentivo à adoção de práticas sustentáveis ficam bastante evidentes neste cenário. Além disso, a construção desta rede integrada proporcionada por um ambiente de imersão didática, faz com que o conhecimento seja bastante direcionado ao contexto socioambiental tanto de seus alunos, quanto de seus familiares.

Há cerca de uma década, a realização de parcerias junto à Petrobras tem proporcionado uma série de incrementos nas vivências relacionadas ao ambiente da Casa Familiar Rural. A preparação de projetos por parte da equipe responsável, leva em consideração, principalmente, o objetivo de proporcionar práticas que de alguma maneira estejam relacionadas ao cotidiano de seus estudantes, envolvendo importantes conceitos, como o desenvolvimento sustentável e a preocupação ambiental, que tem ganhado muito mais força nos dias atuais.

Projeto Ecos do Campo

O fruto mais recente da colaboração ocorrida entre as entidades é o Projeto Ecos do Campo – Desenvolvendo a Agricultura Sustentável. A equipe responsável comentou sobre as atividades desenvolvidas neste sentido. “A promoção de um seminário, assim como o surgimento de um novo Edital da Petrobras contribuíram para o surgimento do Projeto. O objetivo principal foi trabalhar as temáticas do lixo, água e participação feminina nos processos, vinculados à realidade e ao cotidiano dos alunos da Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul”, explicaram eles.

A área abrangente do Projeto Ecos do Campo contempla as comunidades Dois Irmãos, Paiol Grande e Rio das Pedras A.

Os responsáveis destacaram aspectos mais específicos relacionados ao Projeto Ecos do Campo. “De maneira geral, o Projeto busca trabalhar a preservação de nascentes, assim como à implementação do esgoto agroecológico em algumas propriedades rurais de nossa região, contando com uma linha de formação e capacitação dos envolvidos. Para este projeto em específico, a área de atuação ficou delimitada entre as comunidades do Paiol Grande, Dois Irmãos e Rio das Pedras A”, comentou a equipe.

Problemática socioambiental

O Projeto Ecos do Campo está destacando uma temática muito pertinente aos dias atuais: O desenvolvimento de um pensar mais crítico e cuidadoso quanto à água, recurso extremamente importante à vida, que encontra-se ameaçado em uma série de ambientes. Uma parceria com o IDR (Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná) tem fortalecido as atividades neste sentido. “A proteção de nascentes envolve 2 pressupostos básicos, um deles relacionado à água voltada ao consumo humano e o outro à proteção da nascente em si, composta por um processo de reconstrução da vegetação e proteção no entorno. Em nossa região, observamos a predominância de nascentes do tipo olho d’água. Uma das técnicas mais utilizadas neste sentido, é a do solo-cimento”, destacou Dejair de Jesus Padilha, representante do IDR.

O processo de recuperação de nascentes é um dos principais focos do Projeto Ecos do Campo, realizado através de uma parceria entre a Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul e a Petrobras, contando também com apoio do IDR-PR.

O envolvimento da comunidade junto às práticas propostas pelo Projeto Ecos do Campo é uma das principais forças de motivação para a atuação da equipe de técnicos responsáveis.

Envolvendo a comunidade

Nos dias 14 e 17 de dezembro, a equipe do Projeto, juntamente com os parceiros do IDR, realizaram a primeira recuperação de nascente do Ecos do Campo, promovida em uma propriedade localizada na comunidade do Rio das Pedras A. “Gostaríamos de destacar o comprometimento de toda a equipe envolvida no Projeto e, em especial, à Técnica em Meio Ambiente Marli Ramina Ribas e à Técnica em Agroecologia Caroline Aparecida Riske, assim como aos parceiros do IDR, Dejair de Jesus Padilha e Gladstony Wilker Bezerra. Cada nascente é única e possui uma identidade própria, sendo a condução de atividades neste sentido bastante importantes, tendo em vista o cenário de escassez de água muitas vezes presente em nossa região nos últimos anos”, comentou a equipe.

Os responsáveis pelo projeto convidam a todos os interessados para a participação. “Convidamos todos os proprietários interessados para que participem das etapas do projeto, pois é uma problemática que está bastante relacionada à qualidade de vida de todos. A equipe do Projeto já tem realizado um diagnóstico técnico junto à área delimitada, sendo esta participação da população bastante importante para a concretização das atividades de proteção das nascentes e de nossas águas”, explicaram os envolvidos.

Para maiores informações vinculadas às atividades desenvolvidas, utilize os endereços eletrônicos do Facebook da Casa (facebook.com/CasaFamiliarRuralDeSaoMateusDoSul) e também do Instagram (instagram.com/cfrsaomateusdosul/).

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Estudos técnicos para arborização urbana em São Mateus do Sul são retomados
São-mateuense produz adubo orgânico através da compostagem
Residências com mato alto preocupam moradores da Vila Americana