Logo criada para o evento frustrado. (Imagens Internet)

A Secretaria Estadual de Educação – SEED estabeleceu para o dia 9 de junho a realização de uma prova online de matemática e português com alunos da rede estadual de ensino, chamada de Atividade Paraná Diagnóstica.

Segundo o secretário estadual de Educação, Renato Feder, em vídeo chamada direcionado aos alunos convocando para a realização da prova, explicou que este teste serviria para avaliação dos professores, das escolas e para saber como está o aprendizado dos alunos durante o período de pandemia, sendo útil também para o planejamento do segundo semestre letivo. Fez a convocação solicitando os esforços dos alunos mas a prova não ocorreu.

Os alunos tentaram acessar e não conseguiram e, para desespero de vários alunos, nas instruções da prova constava que, após iniciar a avaliação, mesmo que houvessem problemas técnicos, o tempo total seria de 2:30h. Nas instruções constava que “se ocorrer problema de conexão é possível retomar a atividade, porém, durante o tempo do problema, o cronômetro continuará contando para a prova online”. A maioria dos alunos não ficou sabendo dos problemas que aconteceram com a entidade contratada para a avaliação e que a mesma havia sido suspensa. Continuaram tentando a realização, passando por todo um estresse.

Foram mais de 900 mil alunos que se prepararam para a realização dessa prova, estudando conteúdos além do currículo normal para estabelecer uma boa nota na avaliação, também passando pelo estresse existente nessas situações. Tudo isso para ter a frustração de acreditar que seriam prejudicados pela queda de sinal da prova. Diversos alunos procuraram informações na sede da Gazeta Informativa, alguns pessoalmente e outros via telefone e redes sociais, para saber se havia alguma informação a mais sobre o ocorrido.

Segundo informações, a SEED contratou o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação – CAEd, da Universidade Federal de Juiz de Fora-MG, ao custo de cerca de R$13 milhões. A plataforma falhou no início da avaliação, o que deixou os alunos que estavam tentando realizar o exame confusos, pois ela teve início, mas não prosseguiu e muitos não souberam como proceder. Depois de muitas tentativas para solucionar o problema, a SEED resolveu suspender a Atividade Diagnóstica e informou a direção das escolas para repassarem para os alunos. Segundo a SEED, o contrato existente com o CAEd tem vigência até setembro deste ano e teve início em 2019 para as aplicações das Provas Paraná e Paraná Mais, que são impressas. Como não houve aulas presenciais há mais de um ano, só em 2019 as avaliações foram realizadas e apenas R$ 5,1 milhões foram pagos dos R$ 13,4 milhões previstos para teto do contrato, que prevê ainda que o CAEd é responsável pela elaboração, impressão, correção e resultados dos testes, diz o governo.

Mensagem que os alunos recebiam quando tentavam acessar a prova.

Nota de esclarecimento sobre a falha ocorrida.

A SEED informou que optou por cancelar a Atividade Diagnóstica Paraná que seria realizada em todo o Estado pelo motivo de o CAEd não ter garantido que o seu sistema on-line não falhasse novamente.

Tanto direção, quanto professores e, principalmente, os alunos ficaram decepcionados pela situação ocorrida. A pequena nota divulgada foi:

“Caros diretores, infelizmente não aconteceu avanço com o CAED numa solução viável. Não resolveram os problemas técnicos. Por isso, a SEED decidiu suspender a Atividade Diagnóstica. Por favor, informem os alunos. A SEED/NRE pede desculpas a todos que se esforçaram tanto para que mais essa atividade pudesse acontecer”.

Hugo Lopes Júnior
Últimos posts por Hugo Lopes Júnior (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Convênio entre Uniuv e Universidade de Kielce é assinado
Em grande fase, Karolinka promove mostra folclórica com atração internacional
Livro didático sobre história e geografia de São Mateus do Sul é lançado