A ação buscou eliminar o mosquito em fase adulta em ruas no entorno de cooperativa de materiais recicláveis na Vila Amaral, em São Mateus do Sul. (Fotos: Cláudia Burdzinski/Gazeta Informativa)

Após a confirmação do primeiro caso de dengue em São Mateus do Sul, no dia 22 de janeiro, a equipe da vigilância de saúde começou a intensificar o trabalho de prevenção para evitar novos casos no município. Foi constatado que a vítima adquiriu a doença na zona urbana da cidade, caracterizado como caso autóctone. Em 2018, houve a confirmação de dois casos importados.

Na última terça-feira (29/01), às 18h, aconteceu a ação de pulverização de inseticida nas proximidades onde foram encontradas as larvas do mosquito Aedes aegypti, responsável pela proliferação de dengue, zika e chikungunya. A ação buscou eliminar o mosquito em fase adulta. Foi feito a delimitação do foco no raio de 300 metros onde os focos foram encontrados. Essa técnica é conhecida como “fumacê”, e tem a finalidade de acabar com o Aedes aegypti e outros mosquitos que carregam vírus perigosos.

Momento em que aconteceu o “fumacê” nas ruas de São Mateus do Sul. A técnica é feita para acabar com o Aedes aegypti e outros mosquitos que carregam vírus perigosos. A ação foi transmitida ao vivo pela página do jornal no Facebook, confira.

As ruas próximas a Cooperativa de Recicláveis São Mateus passaram por pulverização, sendo elas: rua Evaldo Gaensly, rua Rodolfo Wolff, rua Guilherme Kantor, rua Paulino Vaz da Silva, rua João Gabriel Martins, rua David de Paula e Silva, rua Dom Pedro II e rua Alberto Schram. Os moradores foram alertados para deixarem suas residências por 45 minutos. Animais domésticos, rações e alimentos também foram mencionados para serem retirados no momento da aplicação do produto.

“Vale a pena ressaltar que contamos com o apoio da 6ª Regional de Saúde, Corpo de Bombeiros que disponibilizou uma ambulância para possíveis problemas e também da Polícia Militar e Federal. Enfatizamos e agradecemos todo o trabalho dos agentes de endemias, funcionários da vigilância sanitária. A ação ocorreu sem nenhum transtorno”, diz Andressa Pontello Pedroni, diretora da vigilância em saúde no dia em que a aplicação foi feita.

Se você apresentar algum sintoma – como febre alta acima de 39º C; enjoos e vômitos; dor de cabeça constante; dor no fundo dos olhos; machas vermelhas na pele, em todo o corpo; cansaço excessivo sem razão aparente; dor nas articulações e ossos; sangramento pelo nariz, olhos ou gengivas; e urina rosa, vermelha ou marrom –, deve procurar uma unidade de saúde mais próxima. Evite deixar água parada, em grande e pequena quantidade, pois ela pode servir de depósito das larvas do mosquito. É sempre válido informar vizinhos, familiares e amigos sobre essas ações.

Estudante de Jornalismo que adora escrever e conhecer um pouco sobre a vida e a história de cada pessoa envolvida. Preza pela essência que é repassada na produção de cada matéria, valoriza os pequenos gestos e apoia o ativismo ambiental. E-mail para contato: claudia@gazetainformativa.com.br

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Clínica Odontológica da Uniuv atende cerca de 300 pacientes por mês
Ações de prevenção e promoção a saúde da mulher são realizadas em São Mateus do Sul
Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes recebe R$ 1 milhão para aquisição de equipamentos

Deixe seu comentário

*