Escola Municipal Pedro Effico, na Vila Prohmann. (Fotos: Alexandre Douvan/Gazeta Informativa)

Em entrevista coletiva realizada na sede da Secretaria de Educação de São Mateus do Sul, a prefeita e a secretária de educação esclareceram pontos sobre os procedimentos que serão adotados para o retorno das atividades letivas em 2021. Ficou definido que os municípios membros da Associação dos Municípios Sul Paranaenses (Amsulpar) devem dar início ao ano letivo de forma remota online, como aconteceu em 2020.

É estabelecida também a Comissão Municipal de Gerenciamento da COVID-19, que é formada por representantes da educação, Conselho Tutelar, assistência social e saúde e tem o objetivo de acompanhar o desenvolvimento da pandemia e assim pensar soluções serem implementadas.

“Todos os meses essa Comissão deve avaliar a permanência do remoto ou o retorno às aulas [presenciais]”, informa a prefeita Fernanda Sardanha. Foi ressaltado mais de uma vez que se trata de uma decisão coletiva a permanência do modelo remoto, medida que tem vistas à garantia da saúde dos alunos e servidores das escolas.

WhatsApp e material impresso

A forma encontrada para atender o maior número possível de alunos foi manter as aulas no modelo remoto via grupos no aplicativo WhatsApp para os alunos que têm acesso a internet e smartphones. Para aqueles que por diversos motivos podem não ter acesso aos meios digitais, a Secretaria de Educação procura evitar que esses alunos fiquem para trás em relação aos colegas e já está a preparar os materiais impressos, que deverão ser repassados aos estudantes da mesma forma que ocorreu em 2020.

“As famílias já estavam adaptadas, então o modelo será o mesmo”, destaca a secretária Liliane. As escolas vão entrar em contato com as famílias que possam participar “das questões de grupos de WhatsApp, vídeos, instruções, materiais, e o impresso será para todos”, complementa.

O transporte escolar

Todas as linhas de transporte escolar de São Mateus do Sul são terceirizadas e no momento a Secretaria analisa a documentação dos contratos à luz da Resolução 632 da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA), que estabelece o distanciamento social dentro dos ônibus, com demarcação de assentos, por exemplo.

A secretária afirma que é preciso compreender que o setor de transportes ficou parado em 2020 e ter em mente todas as dificuldades que a pandemia impõe, além das exigências sanitárias da SESA, como a introdução de monitores para os alunos nos ônibus, aferição da temperatura no embarque e no desembarque.

“O transporte é um desafio muito grande e foi um dos motivos pelos quais a Comissão decidiu pela rede municipal não voltar neste momento”, declara Liliane.

A merenda poderá ser retirada em 2021

A confirmação foi feita pela secretária Liliane SantaAna. Ela comenta que para poder distribuir a merenda escolar precisa-se de uma autorização dos órgãos que regulamentam em âmbito Federal. A decisão chegou na última semana e já se trabalha em conjunto com as nutricionistas e com a logística do setor de merenda e com a cooperativa da agricultura familiar para realizar a organização.

Professores aprovados no concurso

Atualmente está em vigência uma Lei Complementar (LC) Enfrentamento ao Coronavírus estabelece obstáculos para o chamamento de profissionais aprovados em concursos.

Liliane destaca que há defasagem de profissionais na Educação no município, mas que o concurso está vigente e pode ser prorrogado por mais dois anos. Enquanto não há definição legal se o município pode ou não efetivar as contratações, a Secretaria de Educação estuda as vagas em aberto na rede, de professores que se aposentaram ou deixaram o cargo permanentemente.

Avaliação dos alunos no período remoto

A Gazeta Informativa perguntou como será avaliado o aprendizado dos estudantes durante o período de aulas remotas, o que absorveram de conhecimento e o que acabou perdido. A isso foi respondido que é necessário trabalhar sempre com planejamento e é necessário criar um plano pedagógico de retorno às aulas.

“Primeiro vai ter que ser uma linha diagnóstica, conhecer de novo nosso aluno e como vai chegar para nós”, explica a secretária, e descreve que há diferentes realidades no município, com alunos que tiveram a assistência necessária em casa, aqueles que acompanharam as aulas e outros que não tiveram muito contato. A partir disso será criado um plano específico de acordo com a realidade encontrada.

Escolas particulares

As escolas particulares retornam com as aulas no formato híbrido a partir de fevereiro. As escolas passaram por vistorias da Vigilância Sanitária e constatou-se que a volta híbrida é possível em virtude da diferente realidade em relação ao ensino público.

“Eles não dependem do transporte escolar coletivo para levar as crianças até a escola, o número de funcionários” também é diferente, uma vez que a rede municipal têm 35 prédios para zelar, enquanto as particulares têm apenas um cada. Dessa forma se considera que a estrutura menor da rede particular garante cuidados que hoje não é possível serem oferecidos na rede pública.

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Afinal, o que é a aprendizagem do Senac?
2016 ficará marcado na história do grupo Karolinka de São Mateus do Sul
Grupo “Os Serranos” parabeniza os alunos do Resgate Gaúcho