Administração e Negócios

SAD: sistema de apoio à decisão

Imagem Ilustrativa

Imagem Ilustrativa

O processo de tomada de decisão, que vai dos setores administrativos até a alta direção de uma empresa, passou por várias mudanças no decorrer das últimas décadas. A evolução da informática está totalmente relacionada a essas alterações, principalmente pelo advento dos sistemas de apoio à decisão, também conhecidos como SAD.

Com a constante transformação do mercado, cada vez mais administradores se deparam com situações não rotineiras em que simples relatórios pré-programados não são suficientes para dar uma resposta de como um determinado acontecimento na empresa, ou fora dela, pode afeta-la.

Embora vários autores e profissionais da área utilizem nomenclaturas mais modernas para referencia-los, a sigla SAD ainda traz um nome bem claro e objetivo.

Um SAD, ou sistema de apoio à decisão é caraterizado por retornar saídas que favoreçam conselhos inteligentes ao administrador, como por exemplo, a razão de não contratar um funcionário no próximo mês, ou o motivo de um certo investimento não ser mais atrativo para os negócios.

É importante lembrar que as informações ou relatórios gerados por um SAD não substituem a figura do administrador, pois embora o auxiliem de modo a garantir mais agilidade e assertividade nas decisões, a proficiência e a experiência são indispensáveis para entender, interpretar, pensar e decidir.

O SAD possui alguns diferenciais em relação aos demais sistemas, como manipulação de grandes volumes de dados, obtenção de dados de diferentes fontes, flexibilidade de relatórios gerenciais, execução de rotinas de otimização, execução de análise de simulação e suporte para tomada de decisão em diversos níveis.

Um sistema de apoio à decisão, além de um banco de dados, possui banco de modelos, que podem ser variados e de acordo com a necessidade de cada empresa.

Por exemplo, modelos financeiros podem fornecer análises de fluxo de caixa e de investimentos gerais. Modelos de análise estatística são capazes de executarem cálculos de teste de hipóteses, desvio padrão, entre outros. Modelos gráficos ajudam na apresentação gráfica de dados, e modelo de gerenciamento de dados servem para identificar atividades críticas que precisam ser mapeadas em tempo hábil.

Para que as saídas do SAD representem uma informação útil, este deverá receber os dados certos. A interface com o usuário possibilita que o operador do sistema faça interação fornecendo as informações que o sistema precisa. Portanto, o usuário deve ser capaz de fornecer ao SAD os dados necessários e corretos, e o SAD deve ter a capacidade de processar e apresentar os resultados ao usuário.

Assim como os outros sistemas, o SAD também mostra a integração presente entre os profissionais de sistemas de informação com os gestores que usam esse grandioso recurso. É importante que o SAD retrate a cultura da organização de modo a se tornar parte dela, não atendendo apenas as necessidades de uma única pessoa, mas de todos aqueles que decidem com o objetivo de direcionar a empresa para o melhor rumo possível.

Nos encontramos na próxima edição! Bons Negócios.

Últimos posts por Eleandro Soares (exibir todos)

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Gerenciando o estoque
O.S.M.: Organização, Sistemas e Métodos
Empreendedorismo, uma ideia bem sucedida