Geral

São-mateuense coleciona mais de 2 mil moedas

Tobias Bueno Kricheski possui em seu acervo mais de 2 mil moedas com um valor estimado de R$ 5 mil. Além de moedas, Tobias coleciona cédulas, medalhas e relógios. (Fotos: Cláudia Burdzinski e Thaís Siqueira/Gazeta Informativa)

Já imaginou usar dinheiro para comprar dinheiro? Pode parecer estranho, mas é isso que fazem os colecionadores de notas e moedas antigas, como o são-mateuense Tobias Bueno Kricheski, de 28 anos, formado em Ciências Contábeis.

Filho dos agricultores João Averaldo Kricheski e Deuzita Bueno Kricheski, residentes na comunidade de Monjolos, Tobias coleciona cédulas, medalhas, relógios e moedas antigas e recentes desde 2015, quando ficou admirado com a personalização das moedas criadas especialmente para a realização das Olimpíadas do Rio de Janeiro que aconteceriam no ano seguinte.

Coleção das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

Desde então o jovem passou a buscar informações sobre o assunto e se impressionou ainda mais com o mundo existente dentro da ciência numismática. “Notei que além da beleza das peças, cada qual continha uma história que permite conhecer nosso país”, diz.

A numismática é o estudo sob o ponto de vista histórico, artístico e econômico das cédulas, moedas e medalhas, que engloba ainda outros objetos assemelhados às moedas, como os jetons que são geralmente emitidos por corporações para identificar seus membros, moedas particulares, destinadas a difundir-se em círculos restritos, como uma fazenda ou ainda os pesos monetários, que serviam para conferir os pesos das moedas em circulação.

Livro referência para colecionadores de moeda.

Tobias revela que possui aproximadamente 2 mil moedas, 30 cédulas e 10 medalhas. Algumas inclusive com relevante poder de investimento, como peças em prata e ouro, além daquelas que possuem defeitos de fabricação e escassez devido à baixa cunhagem. Sua coleção hoje é estimada em aproximadamente R$ 5 mil, segundo o catálogo numismático que atualiza os valores e especificações de moedas e demais.

De acordo com o colecionador, seu principal objetivo é resgatar a história do Brasil através de conhecimento prático e compartilhar essas informações com intuito de promover esse mesmo conhecimento com todos a sua volta. Além de se tornar uma fonte de investimento, pois sua valorização no decorrer de um ano, pode ser até 50 vezes maior que a poupança em alguns casos.

Dentre todos os itens da coleção, merecem destaque a moeda mais cara, que possui valor facial de R$ 5 reais e valor estimado de R$ 400. Também a mais antiga, datada do ano 337 Depois de Cristo (D.C.).

 

Em meio a pouquíssimo tempo como colecionador, Tobias relata que seu principal meio de conseguir novas peças é através das redes sociais, em que já contatou mais de 300 colecionadores e vem participando de grupos e associações numismáticas, que atuam para aprimorar os estudos e pesquisas sobre detalhes que enriquecem este meio.

O colecionador enaltece que seus familiares são apoiadores de seu hobby e o ajudam a aumentar sua coleção, seja indicando quem possui moedas ou mesmo doando exemplares, porém muitas pessoas não veem o potencial desta ciência. “Embora algumas pessoas não valorizem o dinheiro antigo, ele pode ser rico em informações e possuir valor de mercado catalogado. Colecionar é cultura, investimento, história, amizades e principalmente lazer, que propicia bem estar. Uma verdadeira paixão.”

 

Tobias conta também que embora cada peça seja catalogada e tenha um valor, algumas possuem raras exceções e não há dinheiro que a valorize devido sua história e principalmente a dificuldade em adquiri-la. “Em minha coleção há uma moeda de 5 centavos de 1889 reverso invertido, ou seja, com erro de cunhagem e extremamente rara e para mim, uma das mais especiais que possuo”, informa.

O são-mateuense pretende continuar sua coleção e convida os leitores da Gazeta Informativa para entrarem em contato com ele, seja via redes sociais ou mesmo pelo seu contato (42) 9 8833-5450, para obter mais informações ou mesmo tirarem suas dúvidas sobre moedas e sua coleção.

Colaborador

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Portal turístico de Antônio Olinto é inaugurado
O horário de verão passará por mudanças em 2018
Praça Nossa Senhora da Conceição terá “Chimarródromo”

Os comentários estão fechados