David Lucas foi até União da Vitória receber o prêmio que simboliza seu empenho e dedicação 100% aos estudos.
(Fotos: CEJUSC/NRE)

O Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (CEJUSC) organizou uma campanha para arrecadar celulares e computadores com foco em destinar para estudantes sem condições de adquirir. Apesar de estar em União da Vitória a abrangência se estende para a região de São Mateus do Sul, por conta de estar dentro do território do Núcleo Regional de Educação (NRE).

Com apoio de vários parceiros e da sociedade foram doados aproximadamente 60 aparelhos eletrônicos (entre celulares, notebook e tablets). Essas doações permitiram que estudantes pudessem acessar os conteúdos repassados pelas escolas. A conclusão do projeto foi por meio de um sorteio, com 17 prêmios, sendo um dos sorteados brindado e ‘recompensado’ pelo empenho e esforço pessoal.

Empenho compensado

O ano teve a escola que se reinventou e as aulas presenciais deram lugar às aulas remotas. O CEJUSC e Vara da Família, em parceria com o NRE, desenvolveram no decorrer do ano o Projeto “Ajude um aluno de Escola Pública a continuar estudando”. Focando a permanência nos estudos, com entregas dirigidas durante o ano letivo, e premiação no final do ano.

Na sexta-feira (18/12) foi realizada a entrega de um celular para o estudante David Lucas Gorgia Bombroski, aluno do Colégio Duque de Caxias de São Mateus do Sul. Ele foi um dos contemplados em sorteio realizado no dia 08 de dezembro pela equipe responsável pelo projeto. Sua história brindou e emocionou, tendo em vista o percurso realizado pelo aluno para conseguir acessar as aulas.

Literalmente, ele precisava procurar o sinal de internet para se manter conectado à escola. Disso o seu exemplo de dedicação para estudar. Uma mercearia na Água Branca – interior do município – era o seu acesso ao classroom (plataforma de ensino). Em torno de um quilômetro e meio de uma mercearia para ‘emprestar o sinal’ de internet, gentilmente cedido por comerciante local.

David Lucas relatou que sempre buscava ir bem cedo para evitar de carregar o tráfego de dados da internet existente no estabelecimento. Até pelo acesso quando da utilização comercial ou dos clientes e visando evitar de atrapalhar esta rotina do local. O estudante fez parte do projeto ‘Aluno Presente’, que se pautou justamente na verificação de quais alunos não estavam acessando a plataforma.

Essa retomada das tarefas, coordenada por um profissional de cada escola, perfazia um contato com o referido aluno, incentivando-o a participar das atividades propostas. De acordo com o CEJUSC e NRE, a medida resultou no retorno de um número expressivo de alunos às aulas remotas, entrega das atividades impressas e a constância da frequência nas aulas.

Sorteio e trabalho

Os estudantes que tivessem 100% de assiduidade e frequência participaram de um sorteio de vários brindes (entre eles, aparelhos eletrônicos e livros). David Lucas sagrou ganhador, justamente, de um celular. “Sorteio não é só sorte. A sorte procura pessoas que merecem”, observou Mattioli que coordena o CEJUSC e tem a professora Márcia Senka Tonkio (NRE) à frente da organização destes programas.

“Quem se esforça e busca ser diferente, se empenha, uma hora as coisas começam a acontecer”, reafirmou Mattioli. O fato de ter sido escolhido brinda o trabalho e empenho de cada profissional do CEJUSC e do NRE, segundo ele. “Fechamos com o sorteio, as entregas, valorizando o esforço de cada aluno. Não ter internet em casa, indo até o estabelecimento pegar o sinal para poder ter acesso à plataforma”, observou o juiz.

Carlos Mattioli que responde pela Vara da Família e coordena o CEJUSC. “É uma história que mereceu o nosso elogio presencial”. Para o diretor do Duque Caixas, Felipe Domingos de Lima Chico, alguns alunos estão distantes das escolas e têm a dificuldade socioeconômica. Necessitando deste olhar atencioso frente a tudo isso e valorizando a equipe no sentido de atuar para que o processo educacional seguisse.

O chefe do NRE, professor Carlos Alberto Polsin, destacou a importância do projeto para a comunidade escolar, proporcionando o retorno na execução das atividades escolares. Ele frisou que o empenho do aluno, e história de vida, motiva os profissionais de educação. “Isso nos serve de inspiração e que sua atitude inspire seus colegas e a todos nós”, reafirmou destacando, também, o empenho dos profissionais de educação.

Sidnei Muran

Comentários

Compartilhe:


MATÉRIAS RELACIONADAS
Relatório demonstra dificuldades digitais dos jovens
Mostra de Inovação e Marketing Empresarial da Uniuv leva centenas de pessoas para conhecer a instituição em São Mateus do Sul
Cerca de 200 professores de São Mateus do Sul estão em greve